Peritos do INSS encerram greve e atendem quem aguardava há mais de um ano em Campo Grande

O anúncio do fim da greve foi feito após reunião entre o ministro do Trabalho e Previdência e a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais
| 23/05/2022
- 09:35
Peritos do INSS encerram greve e atendem quem aguardava há mais de um ano em Campo Grande
Agência do INSS em Campo Grande, nesta segunda-feira (23). - Foto: Marcos Ermínio | Jornal Midiamax

Os médicos peritos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) encerraram a greve e retomaram o atendimento aos beneficiários nesta segunda-feira (23), em todo o Brasil. O fim da greve ocorre após os servidores firmarem acordo com o governo federal. Em Campo Grande, o posto da rua Anhanduí funciona normalmente, com todos os peritos atendendo presencialmente.

Neste primeiro dia de atendimentos normalizados, o posto de atendimento recebeu segurados que estavam com agendamentos marcados há muito e enfrentando dificuldades com o órgão, mas também recebeu quem estava com agendamento marcado de forma online e nem sabia que houve greve de servidores no último mês.

A costureira Rosana Fernandes, de 52 anos, foi acompanhar o filho, de 29 anos, que tinha perícia agendada anteriormente. “Ele tinha perícia agendada há 40 dias por afastamento de trabalho. Não sabia da greve e não atrapalhou em nada”, diz Rosana.

A salgadeira Cristina Ferreira Borges, de 46 anos, teve diagnóstico de câncer de mama, no período da pandemia, e diz que perdeu as contas de quantas vezes precisou fazer o agendamento para perícia médica, no INSS, ao longo dos últimos dois anos.

A primeira, segundo ela, foi online, em 24 de novembro de 2020, ainda no período de pandemia, quando recebeu o prazo de 12 dias para a perícia. Desde então, a situação se arrasta.

Fim da greve do INSS ME (1)
Segurada está desde 2020 tentando dar andamento na perícia médica. (Foto: Marcos Ermínio | Jornal Midiamax)

"Fiquei cinco meses sem receber. Procurei a perícia e consegui receber só por 12 dias. Quando procurei a perícia de maneira presencial, me falaram que precisava de um laudo, porque tive alta médica, só que isso [o lado] não aconteceu", diz a salgadeira. Hoje, ela retornou no INSS um pedido de revisão, feito de próprio punho, para rever os cinco meses que ficou afastada. “Tenho 12 anos trabalhando como salgadeira e preciso passar por isso agora”, lamenta Cristina.

A salgadeira ainda conta que, desde abril, está buscando receber o (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), mas não consegue, pois precisa fazer uma perícia e não sabia disso. Ela foi informada na Caixa Econômica e o procedimento foi marcado apenas para 26 de junho.

O Jornal Midiamax acionou o INSS para mais informações a respeito do caso de Cristina e aguarda um retorno do órgão.

Fim da greve do INSS

De acordo com informações da Agência Brasil, a categoria se comprometeu a repor os 52 dias parados e a trabalhar para reduzir o estoque de perícias não realizadas durante a paralisação. Os servidores terão oito meses para compensar os dias não trabalhados de modo presencial ou remoto.

O anúncio do fim da greve foi feito após reunião entre o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, e a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais, na última sexta-feira (20).

A categoria comemorou o acordo que resultou no atendimento de 18 itens da pauta de reivindicações.

Veja também

Lista sêxtupla foi definida nesta quinta-feira (30)

Últimas notícias