MS Estado Carbono Neutro: Pesquisadores aprovados em edital assinam Termo de Outorga

A cerimônia será transmitida ao vivo por meios das páginas do Facebook da Semagro e da Fundect
| 04/02/2022
- 21:05
MS Estado Carbono Neutro: Pesquisadores aprovados em edital assinam Termo de Outorga
Reprodução/Fundect

O edital MS Estado Carbono Neutro teve como propósito selecionar projetos de pesquisa e inovação que contribuam para a diminuição da emissão de gases efeito estufa no estado. São mais de 4 milhões de reais em recursos próprios do Governo do Estado para amenizar todas as emissões de gases causadores do efeito estufa dentro de Mato Grosso do Sul.

Cerca de 11 projetos das instituições: UFGD, UFMS, Embrapa Gado de Corte, Uniderp, Embrapa Agropecuária Oeste, Instituto de Inovação em Biomassa e UEMS foram aprovados. 

O evento terá a participação de autoridades governamentais, reitores, e gestores de ciência, tecnologia e inovação de Mato Grosso do Sul; além dos pesquisadores/coordenadores dos projetos aprovados que assinarão seus respectivos Termos de Outorga. 

Além disso, a cerimônia será transmitida ao vivo por meios das páginas do Facebook da e da Fundect. O secretário da Semagro, Jaime Verruck, explica que tal estratégia ambiental de MS foi adotada no ano de 2016, quando o Governo se comprometeu em neutralizar as emissões de gases de efeito estufa.

“Temos uma meta audaciosa de tornar o Estado Carbono Neutro em 2030, ao menos 20 anos antes do previsto. Já temos um inventário de emissão de CO², mas precisamos revisar e aperfeiçoar essa análise, principalmente no quesito de mudança de uso de solo. Agora queremos buscar pesquisas e tecnologias locais que nos ajudem neste processo”, esclarece.

O diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira explica que o edital objetiva fomentar projetos de pesquisa e inovação as áreas de Bioeconomia, Biotecnologia, Biodiversidade, Energias Renováveis, ou Produção Sustentável, de forma a neutralizar as emissões de gases estufa em MS. 

“Temos visto os efeitos causados pelo aquecimento global: secas extremas em algumas regiões, excesso de chuva em outras, e até frio em lugares atípicos. Isso desperta compromisso com a agenda da sustentabilidade. Mato Grosso do Sul está focado nisso. Negar o aquecimento global é negar a evolução da ciência e a importância que os países têm dado a essa agenda”, destaca.

Veja também

Últimas notícias