Um mês após registrar dois óbitos por H1N1, Mato Grosso do Sul voltou a registrar uma morte pela doença e, segundo boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde), o número de pessoas internadas pela Influenza cresceu em Campo Grande na última semana.

Conforme os dados do boletim desta quarta-feira (30), o estado soma 108 mortes por Influenza no ano, diferente de 2021, quando 5 pessoas faleceram pela doença. Neste ano, a SES mostra que foram 102 por H3N2, 3 por H1N1 e outros 3 são subtipados, um aumento de 2.080% no número de mortes.

Conforme o boletim, as últimas mortes registradas pela H1N1 foram em 2020, com total de 3 vítimas do subtipo da Influenza. Reportagem publicada pelo Midiamax em junho de 2020 já indicava os três óbitos, logo, as últimas mortes ocorreram há mais de dois anos em MS. Com isso, 2022 já atinge o número de falecimentos pela H1N1 de 2020.

Em uma semana, 111 pessoas procuraram atendimento médico no estado devido à Influenza. Atualmente, MS tem 11.453 notificações e Campo Grande é a líder no ranking, com 5.034, correspondendo a 44% do total de notificações.

Internações crescem em MS

Assim como o número de internações por covid cresceu em Mato Grosso do Sul, as por Influenza também. Conforme o boletim epidemiológico da SES, 600 pessoas estão internadas pela doença. Sendo 572 por H3N2, 15 por H1N1, 2 por Influenza B e 11 não subtipados.

Campo Grande soma 11 internações por H1N1, registrando dois casos a mais do que comparado há uma semana. Também há internações por H1N1 em Sidrolândia (2), Corumbá (1) e Caracol (1).