Dormindo, em sua velha casa, ao lado de quem mais amava: foi assim que a cantora sul-mato-grossense, Delinha, de 85 anos, partiu. Amiga há mais de 3 décadas da cantora, Norma Ferreira Dolores, disse que Delinha morreu como gostaria.

“A Delinha morreu do jeito que queria, dormindo, em paz e rezando”, disse à reportagem do Midiamax. Norma, que auxiliou nos trâmites do velório, contou que a cantora tinha medo de voltar a ser internada e falecer no hospital. “Ela não queria que isso acontecesse”, comentou.

Um outra amiga de Delinha, terapeuta holística, encaminhou um áudio para um amigo, coincidentemente, dizendo que havia sonhado com ela nesta madrugada, onde ela realizava um último show.

Católica devota, a cantora faleceu nesta quinta-feira (16), dia de Corpus Christi.

Velório

Secretário de Cidadania e Cultura de Mato Grosso do Sul, Eduardo Romero anunciou que o velório de Delinha será aberto ao público, em Campo Grande.

“É com imenso pesar que informamos o falecimento da Dama da Cultura, nossa eterna Delinha”, declarou Romero, esclarecendo que a despedida da cantora será das 11h às 16h desta quinta-feira (16), na Câmara Municipal de Campo Grande.

Além de familiares, fãs, amigos e toda a população poderão acompanhar o velório. Já o sepultamento está marcado para as 17 horas, também desta quinta-feira, no Cemitério Jardim da Paz (BR-060, km 02, saída para Sidrolândia).