Morre em Campo Grande bebê de um ano que tinha suspeita de 'hepatite misteriosa'

De 4 casos monitorados em MS, três foram descartados e um segue sob investigação
| 25/05/2022
- 09:57
leitos UTI
(Foto: Ilustrativa)

de 1 ano de idade que estava internado em Campo Grande e fazia parte do grupo de casos monitorados por suspeita de hepatite 'misteriosa' morreu em hospital particular de Campo Grande. De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a hepatite aguda foi descartada neste caso após avaliação do Ministério da Saúde.

Ainda não há confirmação sobre o que causou a morte da criança. A família e o bebê viviam em Dourados, mas o caso era monitorado pela Sesau em razão da criança ter sido transferida para hospital de Campo Grande.

Inicialmente, a Sesau afirmou que a criança morreu no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), no entanto, a assessoria de imprensa do hospital afirmou à reportagem que a informação não procede e que a criança estava internada em hospital particular da Capital.

Conforme a secretaria, após análise do Ministério da Saúde conclui-se que o quadro da criança não correspondia às definições da hepatite 'misteriosa'.

Além deste, outros dois casos de crianças e adolescentes que estavam com suspeita de infecção da hepatite 'misteriosa' também foram descartados na Capital, estes tiveram exames positivos para dengue. Atualmente, apenas um caso está sob investigação, trata-se de um adolescente de 14 anos também internado no Hospital Regional.

De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), outro caso de criança que está internada em Ponta Porã também segue sob investigação.

Os exames colhidos em Campo Grande são encaminhados inicialmente para o Lacen (Laboratório Central de MS) e depois enviados para o laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro. A unidade é referência nacional na investigação de casos de hepatite aguda.

Hepatite 'misteriosa' e Covid-19

A doença grave que atinge o fígado de crianças e adolescentes ainda tem origem desconhecida. No entanto, pesquisas lideradas por cientistas do Reino Unido e divulgadas nesta terça-feira (24) relacionam o surto de hepatite aguda com a .

Os pesquisadores estudam se crianças e adolescentes com fragmentos do vírus da Covid-19, no sistema gastrointestinal, estão tendo uma resposta imunológica exagerada ao adenovírus 41. Portanto, segundo o que dizem os especialistas, não há relação do surto com eventual vacinação contra a Covid-19.

Em todo o Brasil, conforme divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (24), são 64 suspeitas de hepatite aguda sob investigação.

Suspeita de hepatite? Saiba o que fazer

Pais e responsáveis devem estar atentos aos sinais de hepatite e procurar um hospital imediatamente caso estejam em dúvida. As crianças com sintomas de uma infecção gastrointestinal, incluindo vômitos e diarreia, devem ficar em casa e não retornar à escola ou creche até 48 horas após os sintomas terem parado.

Além disso, medidas comuns de higiene, como lavagem completa das mãos ajudam a reduzir a propagação de muitas infecções comuns, incluindo o adenovírus.

Confira os sintomas da hepatite:

  • Urina escura
  • Fezes pálidas ou cinzas
  • Coceira na pele
  • Olhos e pele amarelados (icterícia)
  • Dores musculares e nas articulações
  • Temperatura alta
  • Enjoo e náuseas
  • Cansaço o tempo todo fora do normal
  • Perda de apetite
  • Dor de barriga

* Matéria atualizada às 11h20 de 26/05 para alteração de informação.

Veja também

Candidatos devem seguir cronograma para entrega de documentos e cerimônia de posse

Últimas notícias