O trabalho desenvolvido pela GMD (Guarda Municipal de ) ganhou destaque no 16º Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, considerado espaço permanente e inovador de debate, articulação e cooperação técnica para o setor no país.

Segundo informações divulgadas na manhã desta sexta-feira (9), somente nove agentes municipais de todo Brasil foram selecionados para apresentar trabalhos, dois deles são da corporação douradense.

Os inspetores da GMD Eleandro Aparecido Miqueletti e Sérgio Mondadori mostraram, na última terça-feira (6), pesquisas e estudos envolvendo o serviço da Guarda na melhoria da vida do município com atuação em diversas áreas.

A aconteceu de maneira online, durante a realização dos Grupos de Trabalho do encontro. A diretora-geral da corporação, Liliane Graziele Céspedes, comenta que ter agentes empenhados em aprimorar o conteúdo e vivência na corporação contribui para o avanço do serviço prestado.

“É um orgulho ter dois profissionais que cada vez mais buscam o conhecimento que acaba agregando muito à instituição. A gente aparece no cenário nacional e isso é muito satisfatório, para mim, ter dois servidores tão exemplares que contribuem muito para o município de Dourados”, disse Liliane.

Miqueletti expôs o estudo “As Rondas Escolares e a Violência nas Escolas Municipais e Estaduais de Dourados, no Período de 2009 a 2019” durante a discussão da área temática de ações de combate e à violência, a criminalidade e projetos de aproximação comunitária.

Ele teve orientação da professora doutora Luciana Ferreira da Silva na pesquisa que demonstrou redução das ocorrências registradas em atendimentos nas escolas de Dourados durante o período. Enquanto 2009 teve 139 boletins de ocorrência lavrados, 2019 registrou apenas 39.

Já o inspetor Mondadori levou ao evento o trabalho “Guarda Municipal, a Prevenção e o Enfrentamento ao no Terminal Rodoviário”, na área temática de análise criminal, gestão, governança, tecnologias aplicadas a atividade policial, projetos, propostas e ações diversas do campo da segurança pública.

No estudo, ele analisou o período entre 2017 e 2020, quando a GMD tirou de circulação seis toneladas de drogas, causando prejuízo estimado de R$ 15 milhões ao crime. Mondadori explica que a aprovação dele e do colega para demonstrar os estudos no evento é reflexo da competência do serviço exercido pela corporação.