O fim de ano de 2022 deve movimentar cerca de 50% a mais a hospedagem de pets em hotéis ou cuidado de babás de animais em , levando em conta o retorno de viagens e liberações após dois anos de pandemia. A agenda de algumas unidades já está lotada de reservas e hóspedes de quatro patas.

As diárias custam em média de R$ 50 a R$ 95, a maioria com pedido de sinal para reserva, que soma, além do cuidado com os bichinhos, a alimentação, medicamento e brincadeiras para gastar a do animal durante a temporada. Na Personal Pet CG, a proprietária, Ana Clara Rosa Balbé, explica que já estão com 80% das vagas para e Ano Novo reservadas.

“Nossa hospedagem é 100% livre, ou seja, os cães passam o dia todo soltos fazendo atividades e dormem soltos, sem baias ou gaiolas, com monitoras 24 horas. Enviamos notícias como fotos e vídeos diariamente, e atendemos todas as necessidades que o cão tiver durante a hospedagem, como medicação ou alimentação especial, que deve ser trazida pelos tutores”.

Exigência para hóspedes

A capacidade do local é de 50 cães, Ana reforça que é o máximo sem prejudicar o bem-estar. Uma das exigências para receber os hóspedes é estar com a carteira de vacinação completa e atualizada, uma maneira de evitar zoonoses.

A equipe realiza uma avaliação e adaptação prévia do animal, no caso dos machos acima de 8 meses, devem estar castrados. Há também a opção do petsitter, que é ir cuidar dos pets na casa do cliente.

“Também já estamos com a agenda dos dois colaboradores com muita procura. O petsitter é feito por visitas em torno de 40 minutos na casa do cliente, para os cuidados como limpeza, alimentação e brincadeiras. O valor é por e depende da distância; os valores são a partir de R$ 60”, explica.

‘Cada um no seu quarto’

Cada lugar tem seu modo de trabalho e hospedagem. Na Xdog Hotel e Adestramento, a proprietária Gabriela Xavier explica que soma 10 famílias, clientes antigos, que já reservaram um período, cuja maioria tem mais de um animal. Então, reserva da vaga é por cliente e não por quantidade de animal hospedado.

“O brasileiro sempre deixa para a última hora, o mês ainda não terminou, mas nesse mesmo período do ano passado eu já não tinha mais vagas. Ainda temos espaços para box, mas quase finalizados”.

O hotel não é 100% livre, se uma família possui mais de um cão com boa convivência, ficam juntos no mesmo box. Gabriela brinca que ‘cada um ou família fica no seu quarto’, por isso não há exigência de castração ou bom comportamento, já que o animal pode ficar no seu cantinho sendo bem cuidado.

“Temos a área livre, onde ficam os animais com sociabilidade, ficamos atentos e monitorando o grupo durante a brincadeira, o animal mais agressivo tem o seu espaço. Exigimos a vacinação em dia e as anuais, antiparasitário e a coleira repelente. Na Xdog, o valor da diária varia por tamanho do animal e box, de R$ 50 a R$ 80”.

pet
(Foto: Divulgação/ Personal Pet CG)

Fogos da virada com os bichinhos

Há quatro anos, a virada de ano da equipe Hug Dog Pet Hotel e Day Care é com os bichinhos de quatro patas, um método de assegurá-los durante a queima de fogos, que causa estresse e medo nos animais. Uma das donas, Mariana Estrada, conta que o movimento não caiu mesmo com a pandemia, nesse ano se mantendo na média.

“Nós trabalhamos com o diferencial da socialização dos animas durante a hospedagem, porque ninguém gosta de viajar, estar na praia com a ideia de que seu pet está trancado em um canil, entendemos que o animal é alguém da família, um filho ou irmão”, ressalta.

A sócia, Léa Lourenço, diz que nos últimos meses costumam procurar os clientes fixos e que já conhecem, informando sobre a abertura da agenda, um trabalho de confiança de 10 anos na área de cuidados com animais. Por conta do processo de avisar os clientes, no dia 20 de dezembro não ‘encaixam’ mais hóspedes.

“Quando há uma reserva com um cão novo, temos o período de adaptação, que dura um ou mais dias dependendo do cliente, por isso atendemos as ligações até no máximo dia 15 ou 20. Adaptar esse cão antes de hospedar é necessário porque o animal vai ficar em um lugar diferente e com pessoas desconhecidas, ele precisa se sentir bem”.

pet
(Foto: Hug Dog Pet Hotel e Day Care)

Babás de pets

As babás de animais de estimação também estão com aumento de demanda nessa temporada. Sabrina Nunes, de 23 anos, trabalha na modalidade há dois anos para fazer uma renda extra. A maioria dos clientes vem por indicação ou pelas redes sociais.

“Eu cuido da gata da minha vizinha, ela confiou em mim por segurança e porque precisava de alguém que já conhecia o gatinho. Eu nem ia cobrar, mas ela insistiu porque tirava uma parte do meu tempo. Depois de um tempo vi que seria uma alternativa de renda. Cobro pela distância que fica da minha casa, em média de R$ 50 a R$ 70”.

Até janeiro de 2023, Sabrina já conta com sete clientes, entre gatos, cachorros e até peixes. “Tem uns que dão menos trabalho e outros que exigem mais atenção. Atendo um golden que gosta muito de carinho e atenção por sentir muita falta dos donos”.