A Defesa Civil já atendeu mais de 34 famílias atingidas pela forte chuva e temporal registrado neste domingo (13), em Ponta Porã. A tempestade deixou casas alagadas e chegou a destelhar o prédio de uma faculdade em construção.

De acordo com a secretária de Assistência Social, Vera de Oliveira, as famílias estão sendo atendidas com alimentos, roupas, cobertores e outras necessidades.

Além disso, o secretário de Segurança do município, Marcelino Nunes, afirmou que o telefone 153 está disponível para que a população possa pedir por ajuda.

Segundo o meteorologista da Uniderp, Natalio Abraão, o municipio registrou 85 mm de chuva. Dados do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) indicam 124 mm.

O prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo Filho, determinou que fosse colocado um local para abrigar as pessoas caso haja necessidade.

Chuva forte em Ponta Porã

Anteriormente, quatro tempestades seguidas que atingiram os bairros Vila Áurea, Residencial, Nova Ponta Porã e Marambaia.

Vídeos enviados ao Jornal Midiamax mostram casas sujas de lama, alagadas, com portões caídos e moradores tentando salvar móveis às pressas em Ponta Porã.

Os ventos levaram a estrutura metálica de uma faculdade de medicina em construção na Rua Jorge Roberto Salomão, em frente ao Hospital Regional. Além disso, vários ferros ficaram retorcidos pelo local.

50 cidades em alerta

O Inmet emitiu alerta de perigo para 50 cidades de Mato Grosso do Sul que pode ter tempestades severas durante todo este domingo (13).

O Estado ainda pode registrar queda de granizo.

Conforme o alerta, Campo Grande e mais 49 municípios podem ter chuva com volumes de até 100 milímetros, queda de granizo e ventania de até 100 quilômetros por hora, entre elas Ponta Porã.

A tempestade pode causar estragos em plantações, corte de energia elétrica, queda de árvores e riscos de alagamentos.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) alerta para que em caso de temporal, os moradores não se abriguem debaixo de árvores e não estacione veículos perto de torres de transmissão. Desligar aparelhos elétricos também é aconselhável.