Com alta demanda de atendimentos na UPA Vila Almeida, a Sesau precisou solicitar apoio de equipe móvel para dar celeridade na assistência na tarde deste sábado (19) em Campo Grande.

Celina Vargas chegou ao local por volta de meio-dia para conseguir atendimento à filha, de 18 anos, que está com amidalite. No entanto, ela só conseguiu entrar na sala do médico após cerca de três horas de espera. Segundo o relato da moradora ao Midiamax, ela teria sido informada que apenas um profissional realizava as consultas. No plantão divulgado pela prefeitura de Campo Grande, a escala médica constava três médicos para atendimento neste sábado.

Procurada pela equipe de reportagem, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) explicou que a UPA Vila Almeida conta com três médicos, conforme divulgado na escala, sendo um médico no atendimento à demanda espontânea, um acompanhando pacientes em observação e o terceiro responsável pelas urgências e emergências.

“Cabe esclarecer que o atendimento nas unidades de urgência e emergência é feito seguindo uma classificação de risco e não por ordem de chegada. Ou seja, pacientes com maior gravidade são priorizados. Conforme registro de atendimento, todos estavam sendo atendidos dentro do tempo protocolar que é de até 4 horas para casos menos graves classificados como azul ou verde”, informou, em nota, a Secretaria de Saúde.

A Sesau ainda informou que foi solicitado o apoio da equipe móvel para dar celeridade nos atendimentos. “Contudo, ressalta-se que os atendimentos estão sendo feitos dentro do tempo protocolar e que a ficha mais antiga no local é de 12h57”, finaliza a nota.