O Rio Paraguai está próximo de atingir o menor nível de toda a série histórica

Piracema


A seca de 2021 aliada ao cenário do ano passado agravou a situação, conforme o gerente de previsões hidrológicas do , Max Pastén. “A seca afetou gravemente os níveis dos rios e isso causou uma queda acentuada porque nestes dois anos, 2020 e 2021, o recorde mínimo histórico foi quebrado”, disse.

Ele explicou que a queda se deve ao forte impacto da estiagem que começou a se fazer sentir no ano passado e que em 2021 se agravou. O especialista acrescentou ainda que o setor mais afetado é o de navegação e não descartou que em alguns pontos comece a restringir a passagem de navios.

Rio Paraguai tem vários pontos sem água no Paraguai com a baixa histórica e recorde pela seca prolongada – Foto: Norberto Duarte / AFP/METSUL METEOROLOGIA

O que esperar daqui para frente?

Ambos os especialistas são categóricos em afirmar que seria necessário grande volume de chuva para amenizar o problema. “O Rio Paraguai é grande indicador, por ser a grande artéria que controla esse processo [de cheias do Pantanal], então, precisa chover muito nas cabeceiras”, comentou Longo.

O posicionamento é compartilhado pela técnica do . “Tem uma preocupação que se as chuvas não retornarem, a gente pode ter prejudicada a Piracema, pois, sem as planícies inundadas, as desovas que acontecem podem ficar prejudicadas. Estamos na expectativa de que no mês de outubro venha a chover, mas não sabemos quanto, porém, vai precisar muito para recuperar os rios”, avaliou Elizabeth.