Cotidiano

Média móvel de mortes por coronavírus apresenta redução de 59% em Dourados

Fila de espera por vagas em leitos de UTI caiu de 60 para três pessoas

Ranziel Oliveira Publicado em 21/06/2021, às 13h50

Leito de hospital, ilustrativa
Leito de hospital, ilustrativa - (Foto: Arquivo Midiamax)

Conforme o levantamento produzido pela Vigilância Epidemiológica de Dourados, a média móvel de mortes passou de 5,2 para 2, uma redução de 59% após o Lockdown. Em dados concretos, respectivamente, na semana epidemiológica 22, primeira com restrições, foram registrados 37 óbitos, e na semana 24,14 mortes.

A melhora também aparece quando comparamos os números de casos positivos no município. Na semana epidemiológica 22, foram registrados 1.475, enquanto na última semana, 24, foram registrados 426 novos casos positivos, isso representa uma redução percentual de 71,1% e, ainda, conforme o Boletim Epidemiológico, houve uma redução de 59% no número de casos graves.

Entre as semanas 19 e 22 (maio) foram mais de 5.233 casos novos confirmados. Pela primeira vez, o município registrou quatro semanas consecutivas com mais de mil casos, na pior semana foram 1.475 casos. Já na semana 23, na última com restrições, foram registrados 960 casos, e na semana 24, foram 426, uma redução de 38,7%.

A redução também pode ser vista na fila de espera por vagas em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). No início das medidas, cerca de 60 pacientes aguardavam a disponibilidade de vagas em leitos de UTI, hoje (21) essa fila é de 3 pacientes, o que representa redução de 95,7%.

Segundo o médico responsável pela Central de Regulação do município, Frederico Weissinger, essa redução se dá por diversos fatores. “Entre eles está a redução de novos casos, o encaminhamento de pacientes para outros estados, que estão dando suporte a saúde de Mato Grosso do Sul, e a melhora de pacientes que estavam ocupando esses leitos, passando de UTI para enfermaria, e o óbito de outros pacientes”, conta.

Ele ainda explicou sobre a demanda por leitos de UTI. “O número de casos graves também apresentou uma redução de em média 59%. No entanto, a taxa de ocupação se mantém em 100% pois a fila não acabou, ainda temos 3 pacientes na espera por leitos nesse momento”.

Jornal Midiamax