Cotidiano

Iniciativa amplia atenção à saúde primária em Campo Grande e é reconhecida em revista científica

Projeto amplia cobertura de estratégia de saúde da família

Mylena Rocha Publicado em 14/07/2021, às 12h54

None
Divulgação/PMCG

Uma iniciativa para ampliar o acesso de serviços de saúde em Campo Grande foi reconhecida nas páginas de revistas científicas. O projeto amplia a cobertura de estratégia de saúde da família e, somente no ano passado, houve um incremento de 8%, passando de 56,79% para 63,92%. O avanço foi possível graças à implantação do Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde (INOVAAPS). 

A Prefeitura de Campo Grande reforça que as ações ganharam as páginas de revistas científicas e acadêmicas como exemplo de boas práticas. O titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, comenta que o projeto contribuiu para impulsionar as ações, que vão desde o investimento na formação e qualificação de novos profissionais por meio dos programas de residências, até a reestruturação do sistema de saúde de uma forma geral.

“Os números mostram esse avanço significativo que tivemos e reflete diretamente na melhoria da qualidade da assistência prestada à população campo-grandense”, diz o secretário. No mês passado, Campo Grande foi destaque da revista Ciência Saúde Coletiva, considerada referência internacional quando se trata de saúde pública.

A Sesau aponta que o avanço conquistado na atenção primária fez com que Campo Grande saltasse da última para a oitava posição entre as capitais com melhor cobertura de estratégia de saúde da família do país. Antes do INOVAAPS, o Município contava com 147 equipes de saúde da família (ESF) e 143 de saúde bucal (SB). Com a implementação do laboratório, a Capital passou a contar com 166 equipes ESF e 157 equipes SB. Outro ponto que também teve um resultado positivo refere-se aos Núcleos de Ampliados de Saúde da Família (NASF), que hoje têm uma cobertura de 87,57%, atuando em 46 unidades de saúde da Capital.

Os incrementos na atenção primária se dão pelas residências médicas e multidisciplinares que também estão inclusas no INOVAAPS. São, ao todo, 70 profissionais médicos atuando no projeto como residentes em medicina da família e comunidade e outros 121 de diversas áreas que trabalham em saúde da família.

(com informações da Sesau)

Jornal Midiamax