Um grupo com cerca de 30 lideranças indígenas realizou uma manifestação em frente ao Dsei (Distrito Sanitário Especial ) em na manhã desta quinta-feira (28). Os líderes afirmam que não conseguem se comunicar com o coordenador do Distrito e alegam descaso com a saúde nas aldeias em plena pandemia. 

Entre os manifestantes, estavam líderes das aldeias e vereadores indígenas. Eles pedem a saída do coordenador Joe Saccenti Junior e apontam que não conseguem diálogo com relação aos problemas nas aldeias. Segundo manifestantes, as aldeias precisam de melhorias na área da saúde, como a vacinação contra o coronavírus, ambulância para atendimento e insumos. 

Os líderes pedem reunião com o secretário da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), Robson Santos, e com o secretário . No grupo, há representantes dos guaranis, kaiowás e aty-guasu. 

Vereador em Coronel Sapucaia e líder na aldeia Taquaperi, Claudemiro Pereira explica que o principal objetivo da manifestação é conseguir dialogar. “Não temos diálogo com o Dsei há cerca de um ano. Afastaram funcionários da área de saúde das aldeias, falta estrutura, a situação é precária e em muitos casos não temos nem ambulância”, diz.

Liderança na aldeia Bananal, Wilson Terena afirma que há 15 aldeias em e apenas um médico para atendimento. O profissional ainda foi infectado pela Covid-19, deixando as aldeias sem assistência. “A gente pede socorro, perdemos várias pessoas, gente querida, pessoas da família. Está um descaso com a saúde indígena”.

A Polícia Federal está no Dsei conversando com os indígenas, que dizem que irão permanecer no local até conseguirem contato com o coordenador. A manifestação é pacífica.