Cotidiano

Fiscalização contra covid passou em 306 estabelecimento e três foram interditados por desrespeitarem decreto

Um bar com música ao vivo foi interditado por aglomeração

Fábio Oruê Publicado em 18/06/2021, às 08h39

Proprietários foram orientados quanto as regras do decreto
Proprietários foram orientados quanto as regras do decreto - Foto: Divulgação/ GCM

A Prefeitura de Campo Grande reforçou a fiscalização para combate ao decreto criado para frear a disseminação da Covid-19, na noite de quinta-feira (18). A operação contou com a participação de 85 agentes, entre guardas municipais e servidores da Semadur, Vigilância Sanitária, Agetran e Procon Campo Grande.

Os agentes percorreram as sete regiões de Campo Grande, visitando 306 estabelecimentos. Os empresários foram orientados sobre regras de biossegurança e três foram autuados e interditados por desrespeito as normas do decreto.

Um bar, na Joaquim Murtinho, foi interditado por aglomeração, em desrespeito ao decreto contra Covid-19. O estabelecimento funcionava com música ao vivo após o toque de recolher e não respeitava o distanciamento mínimo entre os presentes.

Outros dois estabelecimentos, na Marquês de Pombal, região do Tiradentes, e Na Rua da Divisão, no Jardim Parati, foram interditados por funcionar com a presença de público nas mesas, o que é proibido no decreto vigente.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) acompanhou o início da operação e falou sobre a difícil, mas necessária tarefa da equipe. “Nós temos uma missão muito importante que é de orientação, mas aqueles que reincidirem em desobedecer tem que chamar a segurança pública para tomar as providências dentro da lei”, afirmou.

Drones foram utilizados para auxiliar a Guarda Municipal na busca por festas clandestinas. Equipes da Agetran realizaram blitz especificamente para combater a combinação álcool e direção, que causa acidente e também contribui para superlotação de leitos.

Presidentes e diretores da Associação Comercial, Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes acompanharam o início da operação e aprovaram o trabalho realizado para punir quem desrespeita o decreto e pode prejudicar empresários que atuam dentro das normas de biossegurança.

Jornal Midiamax