A criança faz o uso de gastrostomia desde os quatro meses de vida e traqueostomia desde os sete meses. Ele foi submetido a seis intervenções cirúrgicas, sempre entubado. Em cada entubação ele ficava no mínimo 15 dias, mais já chegou a ficar 33 dias no tubo, explica Gabriele.

Ela deixou de trabalhar para cuidar do filho, e a única renda da família é do marido. Gabrielle revelou que dos quatro medicamentos que seu filho toma regularmente, apenas um deles ela consegue pegar na unidade de saúde, os outros três acabam custando cerca de R$ 300 reais.

A jovem contou que seu filho toma leite de formula, e que cada lata sai R$ 110,00 e tem que ser dez latas por mês, um custo de mais de mil reais.

Por isso, ela decidiu realizar uma vakinha online, para custear os valores com viagem, hospedagem e alimentação.

Até o momento foi arrecadado R$ 310,00, com um total de nove a poiadores. Quem for ajudar pode entrar em contado com Gabrille através do número (67) 99167-6896 ou acessar o link da vakinha virtual clicando aqui.

Para acompanhar a situação do pequeno príncipe, só seguir o @anjo.joaogabriel.