Cotidiano

Vacinação avança e, em duas semanas, internações por covid caem 47% em MS

Com menos pacientes em estado grave, leitos são reformulados para retomada das cirurgias eletivas

Mylena Rocha Publicado em 13/10/2021, às 14h30

Queda nas internações por covid também representa uma retomada nas cirurgias eletivas que ficaram paradas.
Queda nas internações por covid também representa uma retomada nas cirurgias eletivas que ficaram paradas. - Henrique Arakaki/Midiamax

Com o feriado prolongado, o mês de outubro mal começou e parece que já passou ‘voando’. Apesar do período curto, os indicativos da pandemia já mudaram e há boas notícias. Além de conseguir a marca de 48 horas sem óbitos, as internações têm caído cada vez mais. Em 13 dias, o número de pacientes em leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) caiu 47% em Mato Grosso do Sul.

MS começou o mês de outubro com 138 pacientes hospitalizados, eram 60 pessoas em leitos clínicos e 78 em terapia intensiva. Já nesta quarta-feira (13), o número é bem menor: são 72 pacientes internados. Destes, 36 estão em leitos clínicos (30 públicos e 6 privados) e 36 em leitos de UTI, dos quais 34 estão em leitos públicos e 2 em privados.

A redução na quantidade de internações é uma boa notícia que não representa somente uma melhora no cenário da pandemia, mas também uma retomada nas cirurgias eletivas que ficaram paradas. A secretária adjunta de Saúde, Christinne Maymone, explicou que é uma tendência natural começar a reduzir no número de leitos para pacientes de covid e abrir para pacientes com outras necessidades. 

“Temos leitos sendo reformulados para atendimento geral. Estamos com dois projetos, o Opera MS e Examina MS, precisamos executar cirurgias eletivas que ficaram represadas”, reforçou. 

Mortes em queda

Outro bom indicativo é a queda de mortes causadas pela doença no Estado. MS começou outubro com uma média móvel de cinco óbitos diários, agora o indicativo está em 3,3 mortes, uma redução de 34%. Em duas semanas, o Estado registrou 38 mortes causadas pela doença.

Por outro lado, dados do boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) mostram que o mês começou com uma média móvel de 116,6 casos diários de covid em MS. No boletim desta quarta (13), entretanto, a média já chega a 122,4, mostrando um sutil aumento de quase 5% na contaminação no Estado. 

Em menos de duas semanas, MS já registrou 1.661 novos casos da doença. Os dados têm mostrado um sutil aumento no contágio. O Estado começou o mês com a taxa de contágio em 0,81 e agora a taxa está em 0,82. O aumento da contaminação pode ser explicado pela chegada da variante Delta. Já são oito casos mapeados em MS, mas, felizmente, a variante ainda não é dominante e representa menos de 2% dos casos mapeados.

Jornal Midiamax