Baixa procura leva cidades de imunização em massa a fazerem apelo para população se vacinar

Desinformação e medo da vacina têm sido empecilho para vacinação em massa em MS
| 04/07/2021
- 12:46
Baixa procura leva cidades de imunização em massa a fazerem apelo para população se vacinar
Em Corumbá, unidades de saúde farão busca ativa e servidores devem ligar para quem ainda não tomou vacina. - Clóvis Neto/Prefeitura de Corumbá

Cidades de fronteira em participam de um estudo e receberam doses da vacina da Janssen suficientes para vacinar toda a população adulta contra o coronavírus. A vacinação em massa começou na sexta-feira (4), mas algumas cidades têm registrado baixa procura por parte da população. Diante da situação, as prefeituras têm feito apelo para que os moradores se vacinem no prazo. Caso contrário, as doses serão devolvidas.

O estudo da vacinação em massa em 13 municípios da fronteira é encabeçado pelo infectologista Julio Croda, com apoio da OPAS (Organização Pan-americana da Saúde) e instituições de pesquisa. Para a vacinação na fronteira, o Estado recebeu 165.500 doses da vacina da Janssen. 

Apesar do privilégio de ter toda a população vacinada, a procura pelas doses não tem sido como o esperado. Com pontos de vacinação vazios no sábado (3), a Prefeitura de Ladário, a 426 km de Campo Grande, chegou a fazer um apelo para que a população procure pelas doses até quinta-feira (8). “Você está vendo este espaço vago? Era para ter carros trazendo a população para se vacinar, mas não é o que está acontecendo”, informou o assessor em vídeo publicado pela Prefeitura. 

A Prefeitura de Ladário informou que a força-tarefa para vacinação em massa continua até quarta (7), sendo que quinta (8) será o último dia para vacinação. Na sexta-feira (9), as doses da vacina Janssen não utilizadas serão devolvidas. 

Em Corumbá, a 425 km de Campo Grande, a procura pela vacinação também está abaixo do esperado. O município estava vacinando adultos a partir de 30 anos na sexta (2), mas ampliou a vacinação para cidadãos a partir de 18 anos no sábado (3). O medo é um dos fatores que tem levado a população a dispensar a vacina. Segundo informou a Prefeitura de Corumbá, a falta de confiança na ciência e a desinformação causada pelas são um problema. 

Na cidade, 12,6 mil pessoas foram vacinadas contra a covid-19 em 48 horas. Segundo dados da Prefeitura de Corumbá, 5.275 moradores foram vacinados na sexta (2) e 7.402 pessoas no sábado (3). “Ontem foi bom, mas realmente não houve longas filas ou tumulto. Isto se deve à organização geral, são 400 envolvidos e 90 vacinadoras, apoio do Exército Brasileiro, voluntários e pontos descentralizados”, informou. 

Em Ponta Porã, a 346 km de Campo Grande, a vacinação também segue a todo vapor. Neste domingo (4), a faixa etária foi ampliada e são vacinados adultos a partir de 18 anos. Em Porto Murtinho, Caracol, Bela Vista, Antônio João, Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia e Aral Moreira, a população a partir de 18 anos também já está sendo imunizada. 

Corumbá fará busca ativa para vacinação

Calcular a meta para vacinação em massa em Corumbá não é tão simples quanto parece. Se considerar as pessoas que se cadastraram e estão aptas para receber a vacina da Janssen, a meta de vacinação seria de 18 mil pessoas. Contudo, dados do IBGE (Instituto Nacional de Geografia e Estatística) apontam que cerca de 40 mil pessoas ainda devem ser vacinadas na cidade. 

A Prefeitura de Corumbá explica que a partir de segunda-feira (4), a logística será alterada e será realizada uma busca ativa pelas pessoas aptas à vacinação. A busca será descentralizada por unidade de saúde. “[Vamos] cruzar os dados de quem está cadastrado na unidade de saúde e quem se vacinou. Quem não for [vacinar], ir atrás, ligar”, ressalta.

Veja também

Últimas notícias