É possível? Engenheiro analisa vídeo que culpa rede da Energisa por queimadas no Pantanal

Um vídeo que está circulando nas redes sociais nos últimos dias revela uma situação que poderia contribuir para as queimadas registradas em várias regiões de Mato Grosso do Sul. Nas imagens gravadas em área rural do Estado, um poste da rede elétrica começa a pegar fogo e derrubar faíscas, causando incêndio na vegetação seca. O […]
| 18/09/2020
- 17:45
É possível? Engenheiro analisa vídeo que culpa rede da Energisa por queimadas no Pantanal
(Foto: Reprodução) - (Foto: Reprodução)

Um vídeo que está circulando nas redes sociais nos últimos dias revela uma situação que poderia contribuir para as queimadas registradas em várias regiões de Mato Grosso do Sul. Nas imagens gravadas em área rural do Estado, um poste da rede elétrica começa a pegar fogo e derrubar faíscas, causando na vegetação seca. O Jornal Midiamax procurou um engenheiro eletricista que analisou imagens e explica o risco desse tipo de incidente.

Nas imagens, um fazendeiro relata que o que pode estar causando o aquecimento no poste é um material de cruzeta inflamável. O fogo atinge a parte superior do poste e faíscas causam queimada na vegetação, que é rapidamente apagada pelos moradores.

Segundo o engenheiro eletricista, Bruno Egues de Arruda, vários fatores podem contribuir para o risco de queimadas como falhas na isolação. Porém, não se pode afirmar que o causador são as cruzetas, uma vez que são feitas de concreto, aço e madeira, o que não é proibido.

“Outro equipamento crucial é o isolador, este feito de porcelana, vidro temperado ou polímeros, independentemente do material, o isolador deve ser projetado para suportar a tensão de trabalho da linha de distribuição/transmissão, pelas imagens a rede parece ser de 13,8kV porque o isolador possuir apenas 2 discos”, explica.

Falhas em isolamento são os principais causadores de incêndios, e isso acontece quando o disco está danificado, ou descargas atmosféricas, que pode ter a manutenção com uso de para-raios.

“É preciso verificar vários fatores, sendo eles, o projeto para averiguar questões técnicas, a execução averiguando o material empregado e que nem sempre é feito pela Energisa, mas pelo próprio usuário e posteriormente doado para a concessionária, ou ainda investigar causas fortuitas e de foça maior como os fenômenos da natureza”, ressalta.

Em nota, a concessionária Energisa informou que não utiliza matérias que possam causar esse tipo de reação ao fogo e que não existe registro de solicitação de clientes informando esse tipo de problema mostrado no vídeo. Além disso, a concessionária disse que não é possível confirmar se o poste é de uma unidade consumidora atendida pela empresa.

“A concessionária reitera ainda que segue todos os padrões técnicos e de segurança conforme prevê regulamentação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e do (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Confira o vídeo:

Veja também

No total, há 34,01 milhões de casos e 679.996 óbitos pela doença

Últimas notícias