Cotidiano

PM e Guarda Municipal prometem acompanhar atos previstos para este domingo

Apoiadores de Jair Bolsonaro devem realizar ato em frente ao CMO; protesto antifascista organizado pelas redes sociais foi cancelado

Humberto Marques Publicado em 07/06/2020, às 11h39 - Atualizado às 16h34

Coletivo Alanys Matheusa realizou ato pacífico no sábado, acompanhado pela PM. (Foto: Leonardo de França/Arquivo)
Coletivo Alanys Matheusa realizou ato pacífico no sábado, acompanhado pela PM. (Foto: Leonardo de França/Arquivo) - Coletivo Alanys Matheusa realizou ato pacífico no sábado, acompanhado pela PM. (Foto: Leonardo de França/Arquivo)

Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana estão preparadas para acompanharem os atos que foram anunciados para este domingo (7) em Campo Grande, independentemente das últimas movimentações de seus organizadores. Para a tarde, está confirmada concentração de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro em frente ao CMO (Comando Militar do Oeste), a exemplo do que ocorreu no domingo anterior (31).

A preocupação com as manifestações de rua vai ao encontro do acirramento de tensões políticas no país nas últimas semanas, quando, além dos já comuns atos pró-governo, começaram a ocorrer protestos contrários ao Governo Bolsonaro e focados em agenda antirracista –este incentivado pela morte do norte-americano George Floyd.

Via assessoria, a PM confirmou estar preparada para acompanhar as movimentações do dia, contando com reforço no policiamento. As definições de ação, contudo, caberão ao comandante das operações.

Sábado (6), a Polícia Militar se fez presente na Praça do Rádio Clube, onde um ato antirracista foi realizado pelo Coletivo Alanys Matheusa reuniu dezenas de pessoas e ocorreu pacificamente –a expectativa é de que o mesmo ocorra neste domingo.

O ato pró-Bolsonaro foi agendado a começar a partir das 15h em frente aos portões do CMO (Comando Militar do Oeste). Manifestantes devem se concentrar nas pistas da Avenida Duque de Caxias, estacionando veículos ao longo da pista bairro-centro. A Guarda Municipal também deve acompanhar as movimentações no local.

Além desse movimento, um “ato antifascista” havia sido convocado para este domingo na Praça do Rádio, tendo como mote reações ao Governo Bolsonaro. Contudo, durante a semana, organizadores anunciaram o seu cancelamento por conta da pandemia de coronavírus (Covid-19). Ainda assim, autoridades de segurança prometem estar mobilizadas para acompanhar quaisquer concentrações que ocorram pela cidade. Os movimentos, que também se intitulam “pró-democracia”, devem ser replicados pelo país ao longo do dia.

Jornal Midiamax