Pipa atinge rede elétrica e deixa cinco mil imóveis no escuro em Campo Grande

Uma pipa deixou aproximadamente 5 mil imóveis no escuro por aproximadamente 1 hora, na noite desta quinta-feira (16), em Campo Grande. De acordo com a Energisa, o cabo de energia foi rompido, resultando na interrupção do abastecimento nos bairros Maria Aparecida Pedrossian, Conjunto Habitacional Oiti e Jardim Panorama. Equipes da concessionária estiveram no local efetuando […]
| 17/07/2020
- 01:03
Pipa atinge rede elétrica e deixa cinco mil imóveis no escuro em Campo Grande
Moradores ficaram no escuro na noite desta quinta-feira. Foto enviada por leitor - Moradores ficaram no escuro na noite desta quinta-feira. Foto enviada por leitor
Pipa atinge rede elétrica e deixa cinco mil imóveis no escuro em Campo Grande
Imagem cedida pela concessionária mostra cabo rompido por linha com cerol em outra ocasião. Foto: Divulgação

Uma pipa deixou aproximadamente 5 mil imóveis no escuro por aproximadamente 1 hora, na noite desta quinta-feira (16), em Campo Grande. De acordo com a , o cabo de energia foi rompido, resultando na interrupção do abastecimento nos bairros Maria Aparecida Pedrossian, Conjunto Habitacional Oiti e Jardim Panorama. Equipes da concessionária estiveram no local efetuando os reparos e a energia foi normalizada por volta das 20h30.

O atrito de linhas chilenas e linhas com cerol cortam o cabo de alumínio, ocasionando na queda da distribuição. Moradores acionaram o Midiamax informando sobre o ocorrido e dizendo que, na ocasião, estavam com dificuldades para contactar a concessionária. No Maria Aparecida Pedrossian e Oiti, de onde partiram a maioria dos relatos ao jornal, os moradores ficaram sem energia por pouco mais de 1 hora. No Jardim Panorama, a interrupção foi rápida, cerca de cinco minutos.

Por meio da assessoria de imprensa a Energisa informou que além da interrupção no fornecimento de energia, o contato direto das pipas com a rede pode ocasionar diversos tipos de problemas, entre eles: , incêndio e até mesmo acidente fatal. “O ideal é que a soltura de pipa ocorra em locais abertos e afastados dos fios elétricos, e jamais faça uso de linhas metálicas, linha chilena ou cerol. Caso a pipa fique presa aos cabos de energia, nunca tente retirá-la”, afirma o coordenador de Construção e Manutenção da Energisa, Alécio Almeida Leite.

Veja também

Entregas foram feitas junto com presidente do Incra, Geraldo Melo Filho

Últimas notícias