O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou, nesta terça-feira (28) situação de emergência por 180 dias em partes das áreas rurais de Corumbá e Ladáriopor conta dos incêndios que consomem a vegetação do Pantanal. De acordo com o coordenador da , Coronel Fabio Santos Catarinelli, o documento facilita o apoio do governo federal no combate às chamas.

“O Governo está usando um caminho jurídico para dar atendimento à população. Os decretos não são concorrentes, eles agregam”, explicou Catarinelli. Imagens de satélite revelam que, apenas em julho, o MS teve 9.530 focos de calor, 7.598 deles em Corumbá. Hoje (28) já são 394 focos na região. o aumento na quantidade de atendimentos nas unidades básicas de saúde, por causa de doenças relacionadas à qualidade do ar, motivou a assinatura do decreto. Além disso, o governo afirma que os indicadores climáticos que preveem piora na estiagem.

Uma força-tarefa foi montada para conter o avanço do fogo, por meio de apoio aéreo e das forças de socorro locais. Um reforço no combate às chamas foi a chegada do Hércules C-130 da FAB (Força Aérea Brasileira), que desde ontem (27) está auxiliando no trabalho de bombeiros e brigadistas. A equipe também está sendo auxiliada por helicópteros da Aeronáutica e da Marinha.

Cerca de 50 militares do trabalham na operação, com o apoio de oito veículos terrestres da corporação. Foram mobilizados para a Operação Pantanal II, bombeiros de Corumbá, Jardim, Aquidauana, Maracaju, Ponta Porã e , além de 18 brigadistas do Prevfogo, do . O Centro de Comando da Operação foi instalado em Ladário.