Cotidiano

Número de mortes por Covid-19 mais que dobram em um mês em Campo Grande

O mês de dezembro está sendo marcado como o pior da pandemia em Campo Grande. Já foram 238 mortes registradas na Capital, um aumento de 155,9% em relação a novembro, que fechou com 93 óbitos. Os dados são da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). Conforme o boletim da Covid-19, Campo Grande encerrou no domingo (27) […]

Gabriel Maymone Publicado em 28/12/2020, às 07h56 - Atualizado às 08h40

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução) - (Foto: Reprodução)

O mês de dezembro está sendo marcado como o pior da pandemia em Campo Grande. Já foram 238 mortes registradas na Capital, um aumento de 155,9% em relação a novembro, que fechou com 93 óbitos. Os dados são da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Conforme o boletim da Covid-19, Campo Grande encerrou no domingo (27) a segunda semana consecutiva com média de 10 mortes por dia pelo coronavírus (Covid-19), informou boletim da Covid-19.

A semana epidemiológica nº 52 que se encerrou ontem registrou 71 mortes causadas pela doença, duas a menos que a semana anterior, quando foram 73 óbitos. Foram as duas semanas com mais casos fatais de toda a pandemia.

Somente nas últimas 24h, a Sesau confirmou mais 9 mortes por Covid-19. Assim, o município chegou a 1.017 óbitos.

Número de mortes por Covid-19 mais que dobram em um mês em Campo Grande
Número de mortes por semana epidemiológica

Casos

Na mesma proporção aumentaram o número de casos confirmados da doença em Campo Grande. No mês de dezembro, por exemplo, foram 13.218 ocorrências de Covid-19, uma alta de 28%.

Os dados da Sesau indicam que em 17 dias de dezembro o número de pessoas contaminadas pela doença foi 41,3% maior que o registrado em todo o mês de novembro, quando foram confirmados 9.351 novos casos.

O boletim divulgado no domingo (27) mostra que Campo Grande chegou a 59.124 ocorrências da doença.

Número de mortes por Covid-19 mais que dobram em um mês em Campo Grande
Evolução diária de casos confirmados na Capital

Internações

De acordo com o informe, a Capital tem 374 pacientes internados com a doença, sendo que 69 estão com ventilação mecânica, que é o suporte oferecido, por meio de um aparelho, ao paciente que não consegue respirar espontaneamente por vias normais.

Desses, 194 estão em leitos clínicos, 177 em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) e 3 em PAM (Pronto Atendimento Médico). Então, são 192 internados pelo SUS (rede pública) e 182 na rede particular.

Jornal Midiamax