O diretor administrativo da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de ), Mateus Tavares Fernandes, explicou nesta quinta-feira (12) que os casos suspeitos identificados no município, que estiverem estáveis, deverão ser mantidos em isolamento no serviço de saúde ou domicílio.

Já os casos com evoluções mais graves, deverão ser destinados ao atendimento de maior complexidade onde tenham todo o suporte necessário de acordo com o quadro clínico apresentado (UPA, e ou Hospital da Vida).

“Todo caso suspeito de COVID-19 deve receber avaliação médica nas Unidades Básicas de Saúde ou UPA 24h, que classificará o caso e recomendará a conduta clínica de acordo com o quadro apresentado. Se o paciente apresentar quadro leve, que não indique internação hospitalar, o caso deve ser notificado imediatamente à vigilância epidemiológica e/ou o CIEVS (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde) e encaminhar para o isolamento domiciliar”, esclarece o diretor.

Mateus explica, ainda que se for detectada a necessidade de internação, da mesma forma, notifica-se à Vigilância Epidemiológica ou CIEVS e providencia-se a internação, que será vinculada ao Hospital Universitário ou Hospital da Vida, unidades assistenciais de acordo com a gravidade. Em caso em que se necessite de transporte o (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) deve ser acionado.

Segundo o diretor da Funsaud, para estes atendimentos especificamente estão sendo disponibilizados dois leitos de isolamento na UPA 24h, quatro leitos de isolamento no Hospital da Vida, área amarela e dois leitos de isolamento na UTI do Hospital Universitário.