Bancos são autuados por descumprirem decreto de combate ao coronavírus

A fiscalização conjunta da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) e da Vigilância Sanitária, focada na retomada de atividades comerciais e de serviços em Campo Grande em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), retornou nesta segunda-feira (6) a agências bancárias da cidade. Duas delas, na Avenida Afonso Pena, foram autuadas pela […]
| 06/04/2020
- 19:46
Bancos são autuados por descumprirem decreto de combate ao coronavírus
Fiscalização esteve nesta segunda-feira em agência do Banco do Brasil na Afonso Pena para verificar aglomeração e atendimento. (Foto: Dayene Paz) - Fiscalização esteve nesta segunda-feira em agência do Banco do Brasil na Afonso Pena para ve

A fiscalização conjunta da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) e da Vigilância Sanitária, focada na retomada de atividades comerciais e de serviços em Campo Grande em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), retornou nesta segunda-feira (6) a agências bancárias da cidade. Duas delas, na Avenida Afonso Pena, foram autuadas pela Vigilância, enquanto outras duas na Avenida Eduardo Elias Zahran foram denunciadas por descumprirem decretos do prefeito Marquinhos Trad (PSD) que regulam seu funcionamento.

Foram autuadas agências do na Afonso Pena com a Avenida Calógeras e do Banco do Brasil no cruzamento com a Rua 13 de Maio, em frente à Praça Ary Coelho. Nesta, a fiscalização ficou por cerca de uma hora conferindo se medidas sanitárias envolvendo distância mínima entre clientes e higienização, entre outras exigências, foram cumpridas.

A Semadur repassou novas orientações à equipe e alertou que, caso as medidas não sejam adotadas, a agência do BB poderá ser interditada já nesta terça-feira (7). Já a Vigilância Sanitária confirmou ter identificado irregularidades envolvendo a de pessoas nas dependências da agência, depois de os responsáveis já terem sido notificados anteriormente sobre o problema, resultando em auto de infração.

Clientes confirmaram à reportagem que não havia funcionários organizando a entrada e saída de clientes ou mesmo providenciando a higienização de caixas eletrônicos com álcool, exigências do decreto municipal focado nos bancos. Pelas regras, o total de pessoas liberado dentro de cada agência deve ser compatível com a estrutura de atendimento: no caso da unidade do BB, como há 26 caixas operando, apenas este número de clientes é liberado por vez desde que seguidas regras de espaçamento entre pessoas –a distâncias entre 1,5 metro e 2 metros.

“Constatamos que não tinha funcionário organizando a fila e tinha muito idosos aglomerados. O banco tem de trabalhar compatível com a sua estrutura, mas se adequando ao decreto municipal”, explicou Silvana Rezende, fiscal da Vigilância Sanitária que atuou na operação. O valor da autuação varia de R$ 100 a R$ 15 mil, conforme as ilegalidades identificadas. Embora o banco tenha sido penalizado, ela também pediu colaboração da população, que deve evitar se aglomerar para minimizar o risco de contágio pela Covid-19.

Segundo a Semadur, o banco seguiu outras medidas internas, como as marcações de distância entre pessoas no chão e o fornecimento de álcool em gel para os clientes limparem as mãos. Além disso, o Banco do Brasil adotou no local a escala reduzida de pessoal. No entanto, a Vigilância reforçou a necessidade de se organizar a entrada e saída de pessoas desde a entrada –medida que deve ser adotada nesta terça.

A agência do Bradesco também foi autuada. Já as denúncias envolveram agências do Banco do Brasil e do Itaú na Avenida Eduardo Elias Zahran, na região do Bela Vista.

Veja também

Comunidade Esperança, localizado no Bairro Noroeste em local conhecido como “Aterro do Noroeste” entrou em...

Últimas notícias