Cotidiano

Sindicato de caminhoneiros nega greve em MS e não acredita em paralisação no País

O presidente do Sindicam-MS (Sindicato dos Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul), Roberto Sinai, negou que possa haver paralisação de caminhoneiros em Mato Grosso do Sul e, acredita que dificilmente caminhoneiros de outros estados irão cruzar os braços nesta segunda-feira (16). Há quatro dias, Roberto já havia negado articulação de greve para esta semana. Neste […]

Diego Alves Publicado em 15/12/2019, às 23h12 - Atualizado em 16/12/2019, às 11h06

(De arquivo | Marcos Ermínio | Jornal Midiamax)
(De arquivo | Marcos Ermínio | Jornal Midiamax) - (De arquivo | Marcos Ermínio | Jornal Midiamax)

O presidente do Sindicam-MS (Sindicato dos Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul), Roberto Sinai, negou que possa haver paralisação de caminhoneiros em Mato Grosso do Sul e, acredita que dificilmente caminhoneiros de outros estados irão cruzar os braços nesta segunda-feira (16).

Há quatro dias, Roberto já havia negado articulação de greve para esta semana. Neste domingo (15), o Jornal Estado de S. Paulo fez uma publicação a respeito de uma possível paralisação apoiada pela CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logísticas), instituição ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Roberto diz que há reivindicações, porém paralisação só ocorreria com as negociações esgotadas. “Até hoje o governo esteve de portas abertas. Não seria nem prático, porque em dezembro a demanda por transporte é muito menor. Uma paralisação não iria chamar a atenção de ninguém”, diz.

Em março e maio também circularam especulações a respeito de greve de caminhoneiros. Já em maio de 2018, a categoria paralisou por 11 dias.

Jornal Midiamax