Cotidiano

Consórcio Guaicurus e Agetran fazem mistério sobre linhas que ficarão com 15 micro-ônibus

A confirmação de que dos 55 novos ônibus que devem chegar em Campo Grande, 15 serão micro, gerou questionamento dos moradores que usam o transporte público. Sem saber para quais linhas os veículos menores irão, os usuários questionaram o Consórcio Guaicurus, que segue fazendo mistério sobre o destino dos micro-ônibus. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) […]

Mariane Chianezi Publicado em 14/10/2019, às 15h17 - Atualizado em 15/10/2019, às 13h26

Foto: Leonardo de França
Foto: Leonardo de França - Foto: Leonardo de França

A confirmação de que dos 55 novos ônibus que devem chegar em Campo Grande, 15 serão micro, gerou questionamento dos moradores que usam o transporte público. Sem saber para quais linhas os veículos menores irão, os usuários questionaram o Consórcio Guaicurus, que segue fazendo mistério sobre o destino dos micro-ônibus.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) confirmou na última sexta-feira (11), que do total, 10 ônibus já chegaram na Capital e o restante da frota deve chegar até o final do mês. Já chegaram 10, fim de semana mais 10, até o fim do mês todos”, explicou o chefe do Executivo municipal.

O grande questionamento dos moradores foi a respeito de quais linhas os menores ônibus serão implantados. O Jornal Midiamax ouviu o professor universitário e especialista em trânsito, Carlos Alberto Pereira, que explicou para onde os micro-ônibus deverão ser encaminhados.

Para o especialista, a decisão da gestão pública em autorizar a vinda dos ônibus menores foi devida as condições da malha viária de alguns pontos da cidade e, além disso, Carlos Alberto frisou que os veículos deverão atender a bairros em que há menos fluxo de passageiros, enquanto os convencionais atenderão locais mais intensos de usuários.

“A partir dos terminais, onde os ônibus convencionais chegam e os passageiros precisam descer para ir para as microrregiões, os micro-ônibus se tornam mais interessantes, porque o número de passageiros é menor em alguns bairros. Outra situação interessante é a implantação de micro-ônibus nas ruas da região central, porque aí seria um transporte bem mais ágil”, disse o especialista.

Insistindo em permanecer calada, a assessoria de imprensa do Consórcio Guaicurus afirma que a empresa não vai se manifestar a respeito dos novos veículos.

Jornal Midiamax