“Setenta e nove por cento do recurso do Fundersul é aplicado em rodovias, pontes de concreto e manutenção de rodovias”, afirmou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), nesta quarta-feira (13), a respeito dos protestos de produtores rurais contra o pacote que aumenta impostos – que foi aprovado sob vaias e xingamentos, mesmo após manifestações.

Em nota divulgada em 11 de novembro, produtores rurais repudiaram aumento de até 40% do Fundersul e o presidente do Sindicato Rural de , Ronan Salgueiro, cobrou transparência e na destinação dos recursos arrecadados.

Ele disse que deve haver maior clareza ‘para que a comunidade saiba onde está sendo investido, quando está sendo investido, como e quando vai trazer realmente de benefício para o produtor'.

Mesmo com as manifestações de pelo menos três setores, os deputados estaduais aprovaram a medida que eleva em cinco pontos percentuais a alíquota de (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina e reduz o mesmo percentual do etanol. Contudo, o projeto também aumenta a contribuição a título do Fundersul e mantém os percentuais de (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis)

A respeito das críticas recebidas do setor produtivo, Reinaldo afirmou que faz parte “da democracia”. “Eu sou deste setor, faço parte dessa categoria, entendo aqueles que protestam, mas é necessário”.

Reinaldo defende a elevação no Fundersul, como forma de “potencializar ainda mais os investimentos em infraestrutura”. O fundo, segundo o governador, é o que mais investe em infraestrutura.