Cotidiano

Municípios em situação de emergência tentam manter rotina nas escolas

Das sete cidades, apenas uma interrompeu aulas por dois dias

Mariane Chianezi Publicado em 28/02/2018, às 19h01

None

Das sete cidades, apenas uma interrompeu aulas por dois dias

Após terem situação de emergência decretada pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), as sete cidades buscam manter a normalidade das aulas nas escolas municipais para não prejudicar os alunos.

As Secretarias de Educação das cidades de Bela Vista, Bonito, Jardim e Miranda informaram que as aulas ainda não precisaram ser suspensas e seguem regularmente.

O prefeito de Nioaque, Valdir Couto de Souza, informou ao Jornal Midiamax que apesar da situação crítica que se encontra a cidade, município está fazendo o possível para conseguir manter as aulas.

“Estamos com dificuldade porque a maioria da população total da cidade mora na área rural, cerca de 60% dos moradores. Está normal [as aulas], mas tem um ponto ou outro que está bem difícil para os ônibus chegarem”, afirmou a reportagem. Na cidade tem 32 ônibus para fazer transporte tantos dos alunos como os demais moradores.

Já na cidade de Aquidauana, onde rio chegou a medir 11 metros de altura e águas invadiram a cidade, as aulas chegaram a ser suspensas por dois dias, na última quinta-feira (22) e sexta-feira (23). As aulas foram retomadas na segunda-feira (26).

O Jornal Midiamax chegou a noticiar a interrupção das aulas na cidade de Corguinho, distante a 97 km de Campo Grande, onde precisou paralisar os ensinamentos na rede municipal pois os alunos que moram na zona rural não conseguiam chegar à cidade para estudar.

Nesta quarta-feira (28), o secretário de educação Jeffer Aparecido Peres da Silva, informou a reportagem que as aulas voltaram ao normal hoje e maquinário da prefeitura seguiu até ás áreas mais afetadas para realizar reparos nas estradas. “O tempo melhorou e a Secretaria de Obras está arrumando os pontos críticos. A Defesa Civil está no município avaliando situação”, afirmou.

Até o fechamento desta matéria, a reportagem não havia obtido sucesso em contatar a Prefeitura Municipal de Anastácio, cidade que também teve situação de emergência decretada pelo Estado.Municípios em situação de emergência tentam manter rotina nas escolas

Em situação de emergência

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), decretou situação de emergência em sete cidades devido às chuvas intensas dos últimos meses. Com o decreto, os municípios ficam autorizados a utilizarem recursos estaduais em resposta aos desastres.

As cidades de Aquidauana, Anastácio, Bela Vista, Bonito, Jardim, Miranda e Nioaque já haviam decretado situação de emergência no âmbito municipal, requerendo auxílio dos governos estadual e federal.

As chuvas resultaram na cheia histórica do Rio Aquidauana da última semana, que chegou a medir 11 metros de altura e inundou casas no município, deixando mais de 150 pessoas desabrigadas. O nível do rio já está baixando.

O Rio Miranda também sofreu uma cheia elevada no fim da tarde desta terça-feira (27), atingindo 40 moradores do município de mesmo nome. Segundo informações da Defesa Civil Estadual, o nível do rio estaria em 7,72 metros e subindo.

Nos outros municípios, as chuvas também impediram o retorno das aulas em áreas rurais e afetaram o escoamento da produção agrícola, devido aos prejuízos nas estradas rurais.

O decreto de situação de emergência autoriza a mobilização da Defesa Civil nos municípios e a dispensa de licitações para compra de recursos para resposta aos desastres. Na última semana, o governador Reinaldo Azambuja se comprometeu a liberar R$ 4 milhões para os municípios afetados.

Jornal Midiamax