Chikungunya cresce e MS já confirma 166 casos em oito meses

A Febre do Chikungunya cresceu 219%, em Mato Grosso do Sul, se comparado os oito primeiros meses de 2018 em relação ao ano passado. A afirmação é feita em boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) nesta quarta-feira (22). Conforme o documento, o Estado registrou, de janeiro até o momento, 166 casos da […]
| 23/08/2018
- 21:27
Mosquitos com a bactéria serão soltos em sete bairros. Foto: Joao Paulo Burini/Getty Images
Mosquitos com a bactéria serão soltos em sete bairros. Foto: Joao Paulo Burini/Getty Images - Mosquitos com a bactéria serão soltos em sete bairros. Foto: Joao Paulo Burini/Getty Images

A Febre do Chikungunya cresceu 219%, em Mato Grosso do Sul, se comparado os oito primeiros meses de 2018 em relação ao ano passado. A afirmação é feita em boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) nesta quarta-feira (22).

Conforme o documento, o Estado registrou, de janeiro até o momento, 166 casos da doença contra 52 no mesmo período de 2017. O levantamento também mostra que o maior índice foi em março com 54 casos.

Suspeita

A SES alerta à população para os sintomas da Febre, em especial o grupo de risco (gestante, menores de 2 e maiores de 65 anos e pessoas com comorbidade).

Deve ficar atento quem apresentar febre de início súbito maior que 38,5°C e dor intensa nas articulações de início agudo, acompanhada ou não de edemas (inchaço).

Visitantes ou moradores de regiões que já registraram a Chikungunya também precisam de uma atenção especial.

Prevenção:

As orientações para a prevenção da doença são descartar todos os objetos não utilizados que estiverem expostos às chuvas; tampar os tonéis e depósitos de água; colocar terra ou areia nos vasinhos de plantas; lixo em sacos plásticos e evitar deslocamento para áreas onde há transmissão instalada do vírus.

Veja também

Ao todo, são 442 vagas para o aprendizado de instrumentos variados e técnica vocal.

Últimas notícias