Cotidiano

Após conserto, pacientes reclamam de temperatura de ar-condicionado no HR

Direção do hospital promete resolver problema

Mylena Rocha Publicado em 19/03/2018, às 17h20

None

Direção do hospital promete resolver problema

Após um mês de calor no PAM (Pronto Atendimento Médico) do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), os aparelhos de ar-condicionado voltam a funcionar, mas desapontam pacientes e funcionários. O prazo estabelecido para o conserto do ar-condicionado era até a última quarta-feira (14) e foi cumprido, mas a potência do aparelho não agrada a todos e muita gente ainda reclama do calor. 

De acordo com pacientes e funcionários que procuraram o Jornal Midiamax nesta segunda-feira (19), os aparelhos não estariam funcionando. Um dos leitores afirma que teve que levar um ventilador para resfriar o quarto do sogro, que foi internado no pronto-socorro.

O diretor administrativo do Regional, Josceli Pereira, afirma que os aparelhos de ar-condicionado estariam funcionando, mas devido ao clima da Capital, não proporcionam uma temperatura baixa. “Ninguém está passando calor, o aparelho só não consegue deixar o quarto frio. Nós temos técnicos tentando resolver esta situação, mas também devemos entender que esta questão é subjetiva. Depende do gosto das pessoas, tem gente que reclama, tem gente que acha que está bom”, explica.

De acordo com o diretor, o ar condicionado central do pronto-socorro sofreu uma pane, quatro hélices quebraram ao mesmo tempo e por isso o setor ficou sem refrigeração por 30 dias. “Eu entendo que as pessoas sofreram com o clima aqui, mas foi um problema sério, tivemos que mandar consertar em São Paulo. A empresa responsável deu um prazo e o cumpriu”, afirma.

O Jornal Midiamax esteve no Hospital Regional nesta segunda-feira e comprovou as informações do diretor sobre a temperatura no PAM. O jornal sempre publicou informações com base em denúncias de leitores e o posicionamento da assessoria de comunicação do hospital.

Refeições sem carne

O diretor administrativo do HRMS também esclareceu denúncias sobre a comida servida no refeitório. Segundo ele, há alguns dias a empresa responsável pela refeição deixou de fornecer carne para o hospital.

“Uma empresa fornecia e começou a ter irregularidades. Decidimos trocar, mas nesse período de transição ficamos sem carne por uma semana”. De acordo com o diretor, os pratos são elaborados por nutricionistas e o hospital tem o dever de fornecer proteína animal, que pode ser carne bovina, frango, peixe ou ovos.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou informações ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax