Passageira acusa motorista de Uber de agressão e atropelamento

Motorista teria passado propositalmente no pé da jovem 
| 14/04/2017
- 20:46
Passageira acusa motorista de Uber de agressão e atropelamento

Motorista teria passado propositalmente no pé da jovem 

O trajeto de volta para a casa que costumava ser tranquilo acabou no atendimento de urgência na Capital. A estudante Larissa Mendes, 21 anos acusa de agressão e de atropelamento um motorista da Uber, que conduzia uma corrida solicitada por ela na madrugada desta sexta-feira santa, 14, em Campo Grande. Segundo a jovem, o condutor passou, propositalmente, em cima de seu pé com o carro, um Corolla.  

Larissa contou ao jornal Midiamax que estava em um bar na avenida Calógeras com a Antonio Maria Coelho, e por volta das 4 horas solicitou pelo aplicativos de carona uma corrida até a sua casa, na Vila Alba. No caminho, ela pediu ao motorista para que parasse na antiga rodoviária para comprar um lanche – o que a estudante afirma ser comum no uso serviço na madrugada -, mas o motorista teria se negado a fazer a parada, foi quando deu início a uma das madrugadas mais longas de sua vida.

“Ele negou e ameaçou que iria cancelar a corrida, e eu então disse para ele continuar a viagem porque eu não tinha como pedir outra corrida, estava sem celular”, disse. Mas o que parecia ser o fim do conflito ganhou mais um capítulo a poucos quilômetros da rodoviária: Motorista e passageiro tiveram uma nova discussão, ainda por causa da recusa, e neste momento, segundo Larissa, o condutor “surtou”. “Ele gritou e mandou eu descer, e quando eu estava descendo ele arrancou. Meu pé direito ficou embaixo do carro e ele passou com a roda em cima dele”, descreveu. 

“Gritei de volta, estava doendo, e ele então deu ré para passar, de novo, em cima do meu pé. Depois disso ele foi embora e eu fiquei no meio fio da Duque de Caxias esperando por algum socorro”. Conforme relato das vítima, um funcionário da Solurb que passava pelo local na volta do trabalho ofereceu ajuda à jovem, e a levou a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida. Larissa teve torção e está com o pé enfaixado, em repouso. 

“Pedi para ele parar porque é normal, sempre peço para parar em um lugar para eu pegar um lanche, seja a rodoviária ou outro local. Ele estava visivelmente alterado, foi grosseiro, agora vou pensar duas vezes antes de pegar um Uber sozinha”, desabafou. 

Abaixo, trecho do relato publicado pela passageira em sua página do Facebook:

"Fiquei na upa até o amanhecer, graças a deus não quebrei meu pé, só torci e esfolei. Mas o tempo inteiro eu chorei, até agora, tentando entender o que faz uma pessoa agir de tal forma com outra como esse cara agiu comigo, sério, mil coisas pela minha cabeça que to tentando organizar, mas é isso, mais além, depois de descansar vou pedir os dados do Uber desse cara pro meu amigo e vou na delegacia registrar um boletim de ocorrência. Bom dia”.".   

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Uber, mas até o fechamento deste material não obteve resposta. 

Veja também

Campo Grande recebe a turnê nacional das bandas Vazio e NervoChaos, nesta sexta-feira (01). Os...

Últimas notícias