Aumenta problemas sociais ligados as moradias irregulares.

Logo no início da manha a , empresa concessionária de distribuição de energia elétrica em Mato Grosso do Sul com a ajuda de viaturas da Polícia Militar deixou 57 famílias na região do bairro Parque do Lago em sem “luz”.

As famílias vivem há cerca de cinco anos em casas construídas em um terreno particular e durante todo este período “furtavam” energia elétrica já que fizeram o chamado “gato” diretamente nos postes sem a instalação dos medidos de consumo de energia.

O fim dos “gatos” neste bairro é o pano de fundo para um problema que está começando a ser discutido em Dourados conforme afirmação do geógrafo Danúbio Muzzi Meira que alerta para um verdadeiro processo de favelização de Dourados.

“A situação é preocupante pois ações na justiça estão garantindo a retomada de áreas públicas onde foram construídas casas”, disse Danúbio relatando que na última semana quatro famílias foram despejadas porque moravam de forma irregular.

'Gatos' de energia elétrica revelam processo de favelização de Dourados

Danúbio relatou que existem mais duas grandes favelas em Dourados sendo uma no Jardim Jóquei Clube onde moram cerca de duzentas famílias e outra na saída para Caarapó com mais de 500 barracos. Estas famílias vivem em condições precárias, com esgoto a céu aberto e utilizando de água e luz de forma clandestina.

Na operação para acabar com os “gatos” os moradores da “favelinha” do Parque do Lago fizeram um protesto fechado com paus, pneus e pedras o cruzamento das ruas Orestes Pereira de Matos e Fradique Correia Ferreira.

A artesã Marilene Maria, de 59 anos de idade, afirmou que as famílias usavam a energia elétrica de forma clandestina porque os imóveis não são regularizados. “Não somos ladrões. Queremos pagar pela energia, mas precisamos que nos deem o direito de poder fazer a ligação legal nos postes e que o custo seja parcelado”, disse a artesã.

Em nota oficial a Energisa afirma que a ação e hoje vista combater as ligações clandestinas “para garantir a segurança das famílias que vivem no local e proteger a rede de distribuição”.

Conforme a resolução 414 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o fornecimento de energia só pode ser feito em áreas irregulares com a permissão do Ministério Público ou da Prefeitura.

Assista ao vídeo.