Falta de documentação trava repasse da SAS a entidades, diz secretária

Só R$ 862 mil dos R$ 9,7 milhões foram empenhados 
| 19/04/2017
- 22:07
Falta de documentação trava repasse da SAS a entidades, diz secretária

Só R$ 862 mil dos R$ 9,7 milhões foram empenhados 

A demora no envio e erros na documentação fez com que somente R$ 862 mil de um montante de R$ 9,7 milhões fossem destinados a entidades beneficentes de Campo Grande neste ano. Nesta semana, coordenadores de instituições reclamaram da demora nos repasses, porém, de acordo a secretária Maria Angélica de Carvalho, titular da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), responsável pelos pagamentos, as próprias beneficiadas são responsáveis pela trava.

A secretária explica que o  processo empreendido entre a liberação e o pagamento da verba é feito manualmente e envolve quatro secretarias. Segundo ela, caso todas as exigências sejam cumpridas o prazo para o pagamento é de 30 dias.

“Não há motivo para preocupações, o dinheiro existe, o problema é muitas entidades devem documentação ou mandam errado e se não estiver tudo certo o dinheiro não é pago e o processo torna-se mais demorado”, explica .

Maria Angélica afirma que ao todo, 63 instituições são beneficiadas com a verba municipal, porém, a quantia divide-se em 89 processos, já que uma única unidade pode receber mais de um empenho, dependendo do serviço prestado à comunidade.

Conforme a secretária, em anos anteriores, o sistema para pagamento das entidades era aberto no dia 20 de janeiro e o pagamento feito entre meados de maio e concluído no em julho. Porém, neste ano a liberação veio apenas no dia 1º de março. “Nós até adiantamos o pagamento porque até o dia 31 de março fizemos o repasse para as três primeiras entidades”, disse.

Até o momento, 16 processos já receberam o empenho da Secretaria de .

Veja também

São três vagas imediatas mais cadastro de reserva

Últimas notícias