Cotidiano

Depois de ir à Câmara, presidente da Santa Casa explica situação do hospital a deputados

Santa Casa tem deficit de R$ 43 milhões, segundo gestor

Wendy Tonhati Publicado em 11/04/2017, às 16h02

None
c9e95c4a-7672-4b94-b117-cc257e574c9a.jpg

Santa Casa tem deficit de R$ 43 milhões, segundo gestor

Nesta terça-feira (11), foi dia do presidente da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), mantenedora da Santa Casa, Esacheu Nascimento, falar da situação do hospital aos deputados na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Há exatamente uma semana, ele esteve na Câmara Municipal apresentando balanço do funcionamento do hospital e informou que a entidade fechou 2016 com um déficit de R$ 43 milhões.

Esacheu disse aos deputados que ao assumir a Santa Casa, o hospital estava em “uma situação complicada” e com alguns valores em caixa. O dinheiro foi usado em reformas e a gestão vem até sendo criticadas por essas melhorias. 

O presidente da ABCG disse ainda que espera que a Prefeitura comece o repasse o aditivo de R$ 3,5 milhões ainda neste mês. O convênio já foi assinado com a Prefeitura e, somando-se, os meses anteriores, a Santa Casa espera receber R$ 14 milhões do Executivo. 

Entre os fatores que podem melhorar o atendimento na Santa Casa, Esacheu citou a diminuição de 30% no total de pacientes por meio da regulação e os investimentos que estão sendo feitos. 

Segundo Esacheu, de um orçamento de R$ 242,6 milhões para 599.023 procedimento, o hospital gastou em 2016 R$ 287,7 milhões com 1.460,986 procedimentos. Foram mais de 860 mil procedimentos a mais do que os contratados, resultando no deficit de R$ 43,8 milhões.

Jornal Midiamax