Campo Grande se tornou referência nacional 

​Depois de se tornar referência nacional por conseguir vencer a epidemia de dengue em 2013 e 2015, a Prefeitura Municipal de Campo Grande elaborou um fluxograma para notificação de casos de H1N1, uma estratégia inédita para evitar um novo surto, mas agora de gripe A.

Com o fluxograma, os profissionais das unidades de saúde do município poderão aplicar estratégias, ações de prevenção e procedimentos a serem adotados para o controle da epidemia da doença do município. Campo Grande passa a ser a única Capital no Brasil a utilizar esse sistema de atuação.

No planejamento de ações, está:

– A realização de exames laboratoriais para a identificação da contaminação do paciente por H1N1;
– Procedimentos apropriados de coleta, transporte, processamento e armazenamento de espécimes de fundamental importância no diagnóstico da infecção viral;
– Diagnóstico laboratorial;
– Coletas até o 3° dia após o início dos sintomas e, no máximo, até o 7° dia;
– Coletas dos casos notificados e que atendam critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e;
– Tempo médio para a liberação de resultados de 48 a 72 horas.

A gripe H1N1 consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe Influenza tipo A, ela se tornou conhecida quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010. Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma e pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo levar os pacientes até mesmo à morte.