Cotidiano

Prédio da Funai é desocupado depois de nomeação de coordenador regional

Reunião deve ser marcada para fim de julho para discutir problemas estruturais

Thatiana Melo Publicado em 10/07/2015, às 17h06

None
funai-dg.jpg

Reunião deve ser marcada para fim de julho para discutir problemas estruturais

Os mais de 140 índios que ocupavam o prédio da Funai, em Campo Grande, desde a segunda-feira (6) deixaram o prédio, após o presidente da Funai nacional, João Pedro Gonçalves da Costa, nomear novamente o indígena Terena, Evair Borges, como coordenador regional.

A desocupação ocorreu na noite de terça-feira (7), quando em acordo com Gonçalves um prazo de 15 dias foi pedido para que o nome do coordenador fosse oficializado para a coordenação. Mas, na manhã dessa quinta-feira (9), Evair teve o nome regularizado para a Funai de Campo Grande.

“O presidente afirmou para nós que não sabia do motivo da revogação do nome de Evair, e assim que estivesse tudo certo, o nome dele (Evair) seria confirmado novamente na coordenação”, fala Éder Alcantra, morador da aldeia Buriti, em Dois Irmãos do Buriti, distante 120 quilômetros da Capital.

Ainda de acordo com Éder após as conferências regionais, que já estão ocorrendo no Estado, em Nioaque, Brasilândia e no fim de semana em Corumbá, uma reunião será pedida com o presidente da Funai nacional para discutir a falta de estruturas físicas e problemas de políticas de sustentabilidade para os povos indígenas.

Sete etnias, Terena, Kinikinaw, Kadiuew, Guató, Atikun, Ofaié e Guarani, com 37 mil índios estão sob a coordenação da regional de Campo Grande. Em todo o Estado a população indígena chega a 80 mil, com três coordenações em Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Dourados e Ponta Porã.

Jornal Midiamax