Categoria não descarta paralisação dos trabalhos

Depois do acordo firmado entre a Santa Casa e a Prefeitura na tarde de quinta-feira (7), que prevê contrato entre as partes até 30 de maio, se organizam para apitaço, na próxima terça-feira (12), em frente da Prefeitura da Capital.

Segundo o presidente do Siems/MS (Sindicato dos Trabalhadores da Área de Enfermagem do Estado), Lázaro Santana, este contrato prejudica a negociação salarial da categoria. “Fomos informados pela direção do hospital, que não há possibilidade de negociação, já que não existe previsão de novo contrato após este período”, afirma Lázaro.

Na próxima segunda-feira (11), uma reunião está marcada entre a categoria e a direção do hospital para negociação salarial. “Caso não sejam atendidas as reivindicações, entraremos em por tempo indeterminado”, explica o presidente do Siems.

De acordo com a categoria o pedido é por reajuste de 12,64%, além das folgas e reajustes das cláusulas sociais, que incluem aumento do auxílio-creche em 30%, aperfeiçoamento profissional dentre outros. A Santa Casa tem 1,3 mil enfermeiros e para a marcha 800 profissionais devem ocupar a frente da Prefeitura.

 Contrato

O contrato prevê que o repasse da Prefeitura será de R$ 3 milhões, sendo R$ 2,5 para média e baixa complexidade e R$ 500 mil para alta complexidade, até o dia 30 de maio. Quando uma comissão será formada para a avaliação de atendimento e recursos que o governo estadual deverá repassar para o hospital.