Cotidiano

Municípios de MS com carência de chuvas estão superando as expectativas

Chuva surpreende população de Campo Grande e vários pontos da cidade registram alagamentos

Arquivo Publicado em 25/01/2012, às 19h56

None

Chuva surpreende população de Campo Grande e vários pontos da cidade registram alagamentos

A intensa chuva da tarde desta quarta-feira (25) em alguns pontos de Campo Grande surpreendeu a população. Alguns leitores entraram em contato com a redação do Midiamax para reclamar de alagamentos na região central da Capital, em várias regiões da Avenida Ernesto Geisel, Padre João Crippa e Pedro Celestino.


De acordo com o meteorologista, Natalio Abrão, nesta tarda a chuva não foi homogênea na cidade. Em alguns bairros não houve incidência, em compensação, em outros, chegou a alagar. “Nas redondezas do Parque dos Poderes foi registrado 6 mm, na saída para Cuiabá e na região do Aeroporto foi de 8 mm e no centro da cidade foi de 19 mm”, explicou o meteorologista.


No interior do estado, a exemplo de Porto Murtinho e Bonito, que há dias (desde o dia 13) não tinha registros de chuva forte e o calor anotava acima dos 37 graus, o quadro meteorológico modificou. Nesta madrugada, as 4h, o vento chegou aos 48 km/h em Porto Murtinho e aos 83 km/h em Bela Vista e Bonito.


Além disso, chuva forte também foi registrada, só nesta tarde de quinta-feira (25) já teve 70 mm em Porto Murtinho com granizos e 83mm em Bela vista, Bonito e Antonio João. Nos municípios de Rio Brilhante e Nova Alvorada que, segundo o meteorologista, estava faltando chuva, teve 29 mm, e ventos de 42km/h. Em Ponta Porã o índice foi 61,6mm. Natálio Abrão informou que em algumas regiões que estavam com carência de chuvas, o esperado do mês está sendo atingindo antes do previsto.


O meteorologista também destacou que nos próximos dias, até o final deste mês, a previsão para Campo Grande é continuar chovendo. “O acumulado até agora já registrou o valor de 202 mm de chuvas em Campo Grande, e estamos esperando 210 mm. Praticamente, está atingindo o que esperávamos para janeiro, já que temos mais seis dias neste mês”, concluiu ele.

Jornal Midiamax