O Jair (PL) disse que só vai dizer o que advogado orientar, durante depoimento à (PF), realizado nesta quinta-feira, 22. A PF marcou as oitivas para que os alvos da Operação Tempus Veritatis esclareçam às autoridades o que sabem sobre tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito. Bolsonaro já chegou no início da tarde à sede da Polícia Federal em para o depoimento.

“O assunto é o golpe de Estado, via estado de sítio, adiantando o que eu falaria lá. Mas só vou falar se o advogado me orientar a falar ou não falar, de acordo com o que ele tiver acesso aos autos. Pelo processo legal, eu tenho que saber do que eu estou sendo acusado, os advogados têm que ter acesso ao processo”, disse ao Blog Esmael, na quarta-feira, 21.

Mais 23 investigados também devem prestar depoimentos à PF. Os alvos das operações serão ouvidos de forma simultânea, para que não mantenham comunicação entre eles e não combinem versões. Os depoimentos do ex-presidente e os demais 13 investigados estão marcados para Brasília, onde está localizada a sede do órgão. As superintendências da PF do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Ceará vão ouvir os demais investigados.

Questionado, também, sobre o ato na Avenida Paulista, marcado para o próximo domingo, 25, o ex-presidente conta que, a princípio, apenas ele, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia e o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) devem falar no evento. “O recado será em defesa ao Estado Democrático de Direito, em retrato para o Brasil. E, para o mundo, o que nós, de verde e amarelo, queremos: Deus, pátria, família e liberdade”.