Morre aos 60 anos o jornalista David Coimbra

O colunista lutava contra o câncer
| 27/05/2022
- 14:30
Morre aos 60 anos o jornalista David Coimbra

Morreu na manhã desta sexta-feira (27) o jornalista David Coimbra, que tratava um câncer desde 2013. Com 60 anos recém-completados, o jornalista do Grupo RBS começou a enfrentar problemas de saúde em 2013, ao ser diagnosticado com um tumor em avançado no rim esquerdo. Após sentir dores no peito, descobriu ainda que a doença já havia se espalhado silenciosamente por meio de metástases ósseas para outras três partes do corpo.

Após retirar o rim e tentar alguns tratamentos no Brasil sem sucesso, foi a Boston, nos Estados Unidos, fazer um tratamento com imunoterapia, método experimental que usa anticorpos para estimular o sistema imunológico a combater o câncer.

Ele voltou ao Brasil em 2020. Nos últimos meses, teve pioras de saúde e precisou fazer interrupções no trabalho nos veículos do grupo RBS: os jornais Zero Hora e GZH e a Rádio Gaúcha

Trajetória

Nascido em Porto Alegre, em 1962, David cresceu no bairro Iapi, cenário de muitas de suas crônicas. Formado pela Pontifícia Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), David Coimbra trabalhou como assessor de imprensa da Livraria e Editora Sulina antes de dar início à carreira de repórter e editor, sob a qual fez carreira em jornais como Correio do Povo, Diário Catarinense, Jornal da Manhã, Jornal NH e Jornal de Santa Catarina, além das rádios Eldorado e Guaíba e da RCE TV.

Nos anos 1990, assumiu como editor de Esportes de Zero Hora e promoveu uma mudança de forma e conteúdo. Nas reportagens que estimulava sua equipe a fazer, tão relevante quanto o resultado em campo eram as histórias que o futebol proporcionava. Também passou a cobrir a Seleção Brasileira, e foi na Copa de 1998 que estreou a faceta que o tornou mais conhecido: a de cronista. Atualmente, David escrevia uma coluna diária no jornal Zero Hora e participava dos programas Timeline e Sala de Redação, na Rádio Gaúcha. No extinto canal TV Com, era membro frequente dos programas Bate-Bola e Café TV Com.

Além da atuação como jornalista, é autor dos romances "Canibais - paixão e morte na Rua do Arvoredo" (2004) e "Jô na estrada" (2010), além dos livros de ensaios históricos "Jogo de damas" (2007) e "Uma história do mundo" (2012), das coletâneas de crônicas "Mulheres!" (2005) e "Um trem para a Suíça" (2011), entre outros.

Nota do Hospital

(Boletim Médico - David Coimbra)

O Hospital Moinhos de Vento informa com pesar o falecimento do jornalista David Coimbra, nesta sexta-feira (27), aos 60 anos, em decorrência de complicações em função de um câncer renal. Ele estava internado na instituição desde o dia 22 de maio e, na última quinta-feira, foi encaminhado ao Centro de Terapia Intensiva.

Jornalista, radialista, escritor e cronista, foi um dos autores mais reconhecidos do Rio Grande do Sul. Com passagens por diferentes redações do Sul do país, assinou obras literárias, cronista, apresentador, conquistou prêmios e sempre foi um querido amigo dos colegas.

David deixa a esposa, Marcia Camara, e o filho, Bernardo. E também deixa como legado uma marca indelével na crônica gaúcha, inspirando gerações de leitores.

Veja também

No total, o Brasil tem 672.101 vítimas e 32.536.302 casos da doença

Últimas notícias