O ex-jogador Pelé, de 82 anos, internado desde terça-feira (29) no Israelita Albert Einstein, não responde mais ao tratamento quimioterápico e agora está em cuidados paliativos.

Pelé fazia desde setembro do ano passado, quando foi operado de um câncer de intestino. No início do ano, foram diagnosticadas metástases no intestino, no pulmão e no fígado.

Conforme a Folha de São Paulo, com os cuidados paliativos exclusivos, a quimioterapia foi suspensa e Pelé segue recebendo medidas de conforto, para aliviar a dor e a falta de ar, por exemplo, sem ser submetido a terapias invasivas.

Segundo a ESPN, o Pelé chegou ao hospital com um quadro de anasarca (inchaço generalizado), uma síndrome edemigêmica (edema generalizado) e uma insuficiência cardíaca descompensada.

Portanto, cuidados paliativos são indicados a todos os pacientes com doenças ou condições progressivas e potencialmente mortais. As medidas vão depender dos sintomas, da funcionalidade e do prognóstico, ou seja, quanto tempo de sobrevida se espera para o paciente.