Brasil

De novo: Petrobras anuncia quinto reajuste no preço da gasolina em 2021

O mês de março acabou de começar e a Petrobras anunciou mais um reajuste no preço da gasolina e do diesel vendidos às refinarias. Já é o quinto reajuste no valor dos combustíveis somente nos primeiros meses de 2021.  Conforme anunciado pela estatal, a gasolina sofrerá alta de R$ 0,12 e o diesel de R$ […]

Mylena Rocha Publicado em 01/03/2021, às 10h33 - Atualizado às 10h58

 (Foto: Leonardo França/Midiamax)
(Foto: Leonardo França/Midiamax) - (Foto: Leonardo França/Midiamax)

O mês de março acabou de começar e a Petrobras anunciou mais um reajuste no preço da gasolina e do diesel vendidos às refinarias. Já é o quinto reajuste no valor dos combustíveis somente nos primeiros meses de 2021. 

Conforme anunciado pela estatal, a gasolina sofrerá alta de R$ 0,12 e o diesel de R$ 0,13 já a partir desta terça-feira (2). A gasolina sofre reajuste de 4,8% e passará a custar R$ 2,60 o litro. Com o reajuste de 5%, o preço médio de venda do diesel para as distribuidoras será de R$ 2,71 o litro.

Além disso, a Petrobras ainda anunciou o aumento no preço médio de venda do gás de cozinha. O GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) sofre reajuste de R$ 0,15 e passará a custar R$ 3,05 por kg. 

A alta no preço dos combustíveis tem causado reflexos em diversos setores. Na segunda-feira (22) passada, motoentregadores de Campo Grande protestaram contra o valor dos combustíveis e os impostos. O valor dos combustíveis não compensa, por isso taxistas e motoristas de aplicativo têm considerado abandonar a profissão. 

Consumo de gasolina recuou em MS

O consumo de gasolina pelos motoristas de Mato Grosso do Sul recuou 14,3% em janeiro deste ano, se comparado com o mesmo mês de 2020. A queda se consolida em meio a protestos contra a alíquota de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o combustível no Estado, hoje em 30%, quinta mais alta do País.

Deputados e entidade ameaçam ir à Justiça contra aumento do ICMS

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) propôs e a Assembleia Legislativa aprovou o salto na alíquota de ICMS sobre a gasolina, de 25% para 30%, ainda em 2019. A justificativa seria incentivar o consumo de etanol, cujo percentual passou de 25% para 20%.

O tucano então passou a ser pressionado pela população para recuar do aumento. Um protesto foi convocado para março. Na Assembleia Legislativa, a oposição a Reinaldo ameaça ir à Justiça contra a tributação mais alta.

Por sua vez, a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) encaminha a proposição de uma ação para derrubar a elevação do ICMS da gasolina. A Comissão de Assuntos Tributários da seccional já emitiu parecer que enquadra o reajuste como inconstitucional.

(Colaborou Jones Mário)

Jornal Midiamax