Brasil

PM investiga policiais por denúncias de estupro e tortura com chapinha

Quatro moradores de um condomínio em Belford Roxo, Baixada Fluminense, denunciaram à Corregedoria da PM (Polícia Militar)  uma sessão de tortura realizada na última sexta-feira. Nesta semana foi instaurado um Inquérito Policial Militar para investigar o caso Os jovens relataram que teriam sido agredidos com tapas, chutes e sufocamento com saco plástico. Um deles sofreu queimadur...

Tábata Rauschkolb Publicado em 31/10/2018, às 09h19 - Atualizado às 09h38

Policiais no local do crime (Foto:Reprodução/YouTube)
Policiais no local do crime (Foto:Reprodução/YouTube) - Policiais no local do crime (Foto:Reprodução/YouTube)

Quatro moradores de um condomínio em Belford Roxo, Baixada Fluminense, denunciaram à Corregedoria da PM (Polícia Militar)  uma sessão de tortura realizada na última sexta-feira. Nesta semana foi instaurado um Inquérito Policial Militar para investigar o caso

Os jovens relataram que teriam sido agredidos com tapas, chutes e sufocamento com saco plástico. Um deles sofreu queimaduras no pênis com uma chapinha, e outro foi vítima da introdução de um cabo de vassoura no ânus, de acordo com informações do portal O Globo.

A ação teria sido realizada por 15 PMs, dentro de um condomínio residencial próximo à Favela da Guacha.

As vítimas passaram por exames no Núcleo de Perícia da Corregedoria, que constatou lesões em três dos quatro jovens. A perícia identificou um lesão com sangramento no pescoço de um dos jovens, em outra vítima, peritos coletaram um pedaço de látex próximo ao ânus.

Segundo o portal EXTRA, a assessoria de imprensa da PM confirmou que “os fatos estão sendo apurados pela Corregedoria”.

De acordo com as vítimas, a tortura teria como objetivo  conseguir informações sobre armas e drogas no condomínio. Três dos quinze policiais foram identificados pelas vítimas.

Jornal Midiamax