Brasil

Nova CPI da Petrobras começa na quinta-feira

PT negocia nos bastidores para ficar com a relatoria da comissão

Clayton Neves Publicado em 19/02/2015, às 20h24

None
brasil-politica-eduardo-cunha-20150205-39-1-size-598.jpg

PT negocia nos bastidores para ficar com a relatoria da comissão

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu instalar a nova CPI da Petrobras na próxima quinta-feira, 26. Com isso, os partidos têm até essa data para indicar os 27 integrantes da comissão – PT e PMDB, que detêm as maiores bancadas da Casa, ainda não indicaram seus representantes.

O colegiado terá como foco de investigação o propinoduto descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, ocorridas na Petrobras de 2005, quando já atuava na empresa o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa a 2015, já no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. O PT, nos bastidores, trabalha para controlar postos-chave na comissão.

Por estar à frente do maior bloco da Casa, o PMDB tem direito de indicar o presidente da comissão de inquérito. A cadeira já foi oferecida ao deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), que participou da CPI no ano passado, mas o cargo foi recusado. Caberá ao líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), indicar outro nome.

Nos bastidores, o líder do PT, deputado Sibá Machado (AC), tenta assegurar a relatoria da comissão. O cargo é indicado pelo presidente do colegiado, mas, internamente, Eduardo Cunha tem participado das negociações e defendido que a cadeira seja ocupada por um petista. A iniciativa de Cunha, que em suas duas primeiras semanas à frente do comando da Casa impôs uma série de derrotas ao governo, é um aceno ao Planalto depois de ter concedido a presidência da comissão que discutirá a reforma política para a oposição.

Partidos como DEM, PSDB, PSB PTB e Solidariedade já formalizaram seus representantes.

Jornal Midiamax