‘A gente encarou como um milagre’, diz Luciano Huck com Angélica em entrevista

"Foi um milagre, a gente encarou como um milagre", disse Huck
| 26/05/2015
- 03:15
‘A gente encarou como um milagre’, diz Luciano Huck com Angélica em entrevista

“Foi um milagre, a gente encarou como um milagre”, disse

Luciano Huck e Angélica falaram após o acidente aéreo sofrido no último domingo em uma fazenda a 30 km de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, no “Jornal Nacional” desta segunda-feira (25).

“Foi um milagre, a gente encarou como um milagre, o renascimento da família toda. Não sei nem como agradecer. O avião mudou o barulho e começou a andar de lado. Comecei a trocar ideia com o comandante, que só posso agradecer e salvou todos nós. Ela se desesperou, o Joaquim tava gritando muito, o Benício tava tenso. Angélica gritava, ‘quero que pouse'”, disse Luciano.

Um pouco abatida, Angélica contou que está traumatizada com o que aconteceu e lembrou detalhes do acidente.

“Ele tava muito pálido. Quando eu olhei pra ele eu via que a gente estava caindo, meu filho gritava muito, ‘não quero morrer’. Eu entrei em pânico. Passou na minha cabeça que a gente ia se machucar muito ou ia morrer. Quando a gente tava batendo a lembrança que tenho é como se a gente tivesse morrendo mesmo, um barulho na hora, mas um silêncio no coração”, disse.

Huck disse ainda que Angélica chorou muito e não conseguia andar após o acidente.  “Ela tava nervosa. A Eva chorava muito, estava com uma marca na lateral, pensei que fosse alguma coisa internamente, mas foi porque a babá segurou ela forte, O Joaquim inchou o rosto porque ele bateu na janela. O que a gente viveu e agora tá todo mundo vivo,  pra contar, agora é só se recuperar e agradecer. Estou com dor, mas estou melhor”.

Angélica comemorou por estar viva após o susto. “Apanhei ontem, estou toda doída, mas estou feliz, de estar viva, de estar bem . Acho que hoje a gente tem que curar mais é o emocional”.

No fim da entrevista ao “Jornal Nacional”, o repórter José Roberto Burnier brincou com o casal dizendo que não pode deixar de fazer a piada que está rolando sugerindo que agora eles andarem de táxi, por causa da música “Vou de Táxi”, que fez sucesso com a apresentadora nos anos 80.

“E não pode ser aéreo”, completou Angélica.

O avião que os transportava, ao lado dos três filho, Joaquim, Benício e Eva, e das babás Marcileia Eunice Garcia e Francisca Clarice Canelo Mesquita, teve que fazer um pouso forçado após sofrer uma pane em um dos motores.

Huck e Angélica tiveram alta do hospital Albert Einstein, em São Paulo, nesta segunda-feira (25).  No início da tarde desta segunda-feira, o hospital divulgou boletins informando o estado de saúde dos dois pacientes. Os filhos dos apresentadores e as babás também passaram pelo hospital, mas tiveram alta na madrugada.

“O Hospital Israelita Albert Einstein informa que o paciente Luciano Huck apresenta apenas pequena fratura do corpo da décima primeira vértebra torácica, encontra-se estável e sem consequências neurológicas”, informou o boletim assinado pelo médico responsável, Dr. Guilherme Ribas, e pelo diretor superintendente do hospital, Dr. Miguel Cendorogio Neto.

A apresentadora Angélica teve uma “discreta lesão” na musculatura do abdômen e da região pélvica, além de um estiramento na região da cervical, segundo informou a equipe médica que cuida do casal.

“O Hospital Israelita Albert Einstein informa que a paciente Angélica Ksyvickis Huck encontra-se estável, sem comprometimento neurológico ou hemodinâmico. Apresenta discreta lesão na musculatura da parede abdominal e pélvica, além de um estiramento muscular na região da cervical. Deverá ser submetida a exames complementares no dia de hoje”, diz o informe assinado pelo médico responsável pelo tratamento da apresentadora, Dr. Milton Steinman, e também pelo superintendente do Albert Einstein.

Veja também

O Supremo Tribunal Federal (STF) lançou hoje (17) o livro Eis Aí Suas Rosas, uma...

Últimas notícias