Sesau restringiu atendimento a pacientes regulados

A Santa Casa de convocou reunião para a tarde desta quinta-feira (9) para discutir ofício enviado pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) ao hospital impedindo o atendimento de pacientes não regulados. Na prática, a Santa Casa somente poderá receber aqueles que foram encaminhados por outra unidade de saúde ou Samu (Serviço de Atendimento Móvel às Urgências). Na reunião, que deve contar com presença da Sesau, SES (Secretaria de Estado de Saúde), Ministério Público e CRM (Conselho Regional de Medicina), deverá ser tratada também a questão de repasses em atraso.

O ofício enviado pela Sesau no dia 16 de janeiro estabelecia que as alterações passassem a valer a partir de fevereiro, porém, conforme a assessoria de imprensa da Santa Casa, ainda não foram colocadas em prática. A reunião desta tarde pretende discutir a determinação.

Conforme determinado pelo documento, para seja aberta uma AIH (Autorização de Internação Hospitalar) em caráter de emergência, é necessária uma senha do município do estado ou da regulação do Samu. A restrição faz com que os pacientes procurem antes uma unidade de saúde e recebam encaminhamento para a Santa Casa. Medida semelhante foi colocada em prática no Hospital Regional neste ano.

Além disso, o hospital alega que R$ 24 milhões em repasses estão em atraso, que seriam provenientes do município, estado e união. O prefeito Marquinhos Trad autorizou um adiantamento de R$ 10 milhões para a Santa Casa em caráter excepcional para findar com a paralisação dos funcionários do hospital.

Segundo o secretário de Saúde, Marcelo Vilela, a Prefeitura está em dia com a Santa Casa e que, os atrasos se devem aos valores advindos do Governo Federal, que ainda não foram depositados.