Variedades / Saúde

Jornalista internado pede ‘socorro’ no Facebook para receber atendimento

Atendimento de oncologia

Diego Alves Publicado em 25/06/2016, às 01h50

None
dio-400x330.jpg

Atendimento de oncologia

O jornalista Diogo Neto, da cidade de Ponta Porã, utilizou a sua página social do Facebook pediu socorro para conseguir um atendimento na área oncológica. Na postagem, Diogo lembrou que o direito à saúde está solidificado na nossa Constituição Federal.  Diogo está internado há 19 dias no Hospital Regional de Ponta Porã. Confira abaixo a nota do jornalista

SOCORRO SENHORES GOVERNANTES DA SAÚDE PÚBLICA

Meu nome é Diogo Neto, sou jornalista, moro no Distrito de Nova Itamarati no município de em Ponta Porã-(MS). Hoje, 23/06, fazem 19 dias que estou em um leito na enfermaria clínica do Hospital Regional de Ponta Porã, aguardando uma transferência para uma vaga em algum hospital de Campo Grande, aonde haja especialidades em Oncologia (câncer) e Neurocirurgia com especialidade em colunas cervical.

De acordo com uma médica Oncologista do Hospital Universitário de Durados, meu caso é gravíssimo, e necessita fazer exames para diagnosticar o motivo de tantas dores na coluna.

Ainda de acordo com avaliação médica, tenho uma fratura na coluna, na vertebra T-11, e um nódulo com cerca de 1,3 cm que pode ser um câncer, ou uma tuberculose óssea, daí a necessidade dos exames em caráter emergencial, para diagnosticar e iniciar o tratamento adequado.

Hoje, me encontro internado num leito do hospital Regional, sendo medicado a base de morfina e outros medicamentos mais fortes, aguardando essa famigerada transferência, negada por mais de dez vezes pela Central de Regulação de Vagas de Campo Grande, que insiste em dizer que não há leitos disponíveis nos hospitais de Campo Grande, mesmo para pedidos em caráter emergencial, como é o meu caso.

Por esse motivo, torno minhas dores e meu sofrimento públicos. Para tentar sensibilizar nossos governantes, principalmente os da área de saúde. Por favor, antes da doença, eu pesava 108 quilos, hoje me encontro com apenas 50 quilos, abatido e já debilitado de tanto receber medicamentos pesados que agem como paliativos, ou seja, apenas amenizam minhas dores, e nada mais.

Por favor, façam com que esse comunicado chegue as mãos das pessoas interessadas, pra que elas se sensibilizem e façam alguma coisa pra acabar com esse sofrimento, que já está me deixando fora de mim, sem controles dos meus atos e ações.

Meu telefone de contato é (67) 99807-3415, ou 99861-1316 (Rosenilda, minha esposa), que está comigo nessa luta….

SOOCORRRROO SAÚDE PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL

E que Deus nos abençoe….

Jornal Midiamax