Frequentador da AEACG (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Campo Grande) desde a juventude e com uma visão diferenciada das gestões anteriores, Marcelo Abdalla recebeu um convite para comandar a entidade e a tornou um ambiente receptivo, amigável, com as contas em dia e inovador, por meio de parcerias público-privadas. Eleito para a segunda gestão, usou todo o networking de 35 anos na área e quer a mesma inovação para o Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de ).

“A nossa gestão conseguiu trazer uma visibilidade totalmente diferenciada para o clube. Logo no início, fizemos uma grande limpeza em toda a área da Associação. Existia muito o que recuperar na parte de infraestrutura, que se iniciou ainda na gestão que antecedeu e foi intensificada a partir de 2021 e hoje temos um ambiente perfeito para o associado frequentar e trazer qualquer pessoa da família, tanto para desenvolver uma atividade esportiva como lazer. Também sei das demandas do Crea-MS e pretendo promover muita inovação”, explicou o engenheiro eletricista e presidente licenciado da AEACG, Marcelo Abdalla.

Engenheiro eletricista Marcelo de Castro Abdalla. (Arquivo Pessoal)

Conforme Abdalla, as parcerias público-privadas na Associação o possibilitaram trazer profissionais de outras áreas, para ocuparem espaços antes ociosos e gerarem renda.

“A piscina semi olímpica, por exemplo, tinha um custo de R$ 2 mil de operação e hoje nos gera uma receita, já que passei a fazer contrato de uso de espaço e compartilhamento de infraestrutura, no qual o profissional dá aulas para equipe, faz e repassa um percentual para a Associação”, explicou.

De acordo com o presidente, o mesmo foi feito em outros departamentos, resultando em melhorias, como uma área de lazer completa, com piscina aquecida, quadra de tênis, paddle, entre outras. “Foram muitos parceiros de negócios, que sempre confiaram no meu trabalho, que compraram essa briga e ajudaram a disponibilizar esta mudança. Agora, me sinto apto para melhorar toda a gestão do Crea-MS”, afirmou.

Quais as minhas principais propostas para o Crea-MS?

Integração por meio dos programas Fale com o Presidente, Crea Itinerante, Crea Conecta e Coworking
Negócios por meio dos programas Cash Back Clube de Vantagens, Hub de Negócios e Crea Capacita
Assistência por meio dos programas Excelência Operacional Crea MS, Plano Incentivo Colaboradores, Assistência Médico Hospitalar Familiar Crea MS

Quem é Marcelo Abdalla?

Engenheiro eletricista formado pela primeira turma da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Marcelo Abdalla tem 52 anos, é casado e possui quatro filhos. Natural de Corumbá e “aquariano”, como brinca, relembra que a paixão pela área teve a inspiração vinda dos pais e um tio, já que todos trabalhavam na concessionária de energia elétrica vigente e ele foi gostando e aprendendo desde cedo.

Conforme Marcelo, a família atuava com máquinas e geradores, fazendo a manutenção preventiva e corretiva no Estado. Na época, conta que muitos municípios ainda não tinham rede de energia disponível, então, havia um grupo gerador que tocava os municípios, como Porto Murtinho Corumbá e cidades mais afastadas. Ou seja, desde muito novo teve contato com o que seria a sua profissão e, posteriormente, decidiu seguir nesta área.

“Entrei dois anos adiantado na escola em Corumbá, depois me mudei para Campo Grande na década 80. Houve a divisão do estado e a concessionária passou a se chamar Enersul, então, viemos para cá e fiz o meu segundo grau na antiga escola Mace. Sempre pratiquei esportes e, aos 15 anos, já estava concluindo o terceiro científico, como falavam na época. No início não tinha o curso de engenharia na UFMS, mas, abriu em 1988 e eu fui aprovado”, relembrou.

Durante os cinco anos do curso, Marcelo ressalta que se dedicou muito aos estudos e ao esporte. “Falo com orgulho que o time da engenharia elétrica foi tricampeão universitário no futebol e eu estava lá, como capitão a frente do time. No total, somente 11 pessoas se formaram e inclusive este ano completa 35 anos da criação do curso, oportunidade em que seremos homenageados no fim deste ano”, disse.

Marcelo e a esposa, a administradora, perita, corretora de imóveis e bacharel em Direito, Albi de Urrutia Abdalla. (Arquivo Pessoal)

Aos 22 anos, o engenheiro inicia a jornada no mercado de trabalho. “Já tinha feito estágio e aí uma empresa de fora, em que os donos hoje comandam a construtora BC, que é bem forte no mercado em Mato Grosso do Sul, me contrataram como engenheiro eletricista. Ou seja, logo cedo eu já tinha responsabilidade cível e criminal para tocar as obras do Estado e trabalhei em programas importantes, como o Luz Para Todos, por exemplo”, contou.

Após cerca de três anos, Marcelo diz que surgiu uma nova oportunidade. “Fui captado para trabalhar na Enertel e lá tocar a parte de operação elétrica junto à concessionária, bem na época do ‘boom’ das telecomunicações, então, surgiu a privatização da Telems e houve muita expansão. Foi quando tocamos projetos e obras, cumprindo os contratos vigentes e o bom resultado despertou o interesse da própria concessionária em me contratar”, disse.

Como “atendia ao perfil”, Marcelo passou a atuar no segmento corporativo. “Eu entrei neste plano de expansão para atender aos municípios e passei por diversas fusões na concessionária, cumprindo as metas junto a [Agência Nacional de Telecomunicações] e tendo excelentes resultados, o que me fez ter um contrato de exclusividade com a empresa”, pontuou.

Nesta atividade, em que assinava contratos comerciais e institucionais, foram 16 anos de dedicação e vasta governança corporativa, o tornando especialista em processos licitatórios, gestão estratégica de negócios e de atendimento em serviços de telecomunicações. Mais uma vez, chamando a atenção da concorrência, principalmente após elaborar um plano de expansão tecnológica, o chamado Remav [Rede Municipal de Alta Velocidade], a Vivo o convocou para uma nova jornada, onde ele permaneceu por mais seis anos.

“Nós conseguimos triplicar a receita da Vivo na época e isso me trouxe também excelentes resultados e ganho financeiro, visibilidade e premiação nacional. No ano de 2013, decidi trilhar o caminho da minha própria empresa e aí usei muito do meu networking para começar a atender clientes em todo o Estado, o que continuo fazendo até o presente momento”, finalizou.

Votação em novembro

Sede do Crea-MS. (Divulgação)

A eleição do Crea-MS ocorrerá no dia 17 de novembro de 2023, quando profissionais da engenharia, agronomia, geografia, geologia, meteorologia e tecnólogos de Mato Grosso do Sul terão a oportunidade de eleger os novos gestores, que também vão conduzir a Mútua (Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-MS) e o Sistema Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia).

De acordo com o Conselho, o Estado conta com 9.515 profissionais aptos a votar. A eleição será feita de modo virtual, das 8h às 19h, no horário de , por meio do site www.votaconfea.com.br. A autenticação será feita por meio de login digitando o CPF e senha enviada por email ou mensagem no celular.

Fique atento: o prazo para quitar débitos e atualizar dados cadastrais a fim de receber o acesso ao sistema de votação eletrônica termina no próximo dia 18 de outubro.

*Este conteúdo foi enviado pela assessoria de imprensa do candidato e não faz parte do conteúdo jornalístico do Midiamax.

Saiba Mais