Fisioterapeuta Walkyria Fernandes alerta para diagnóstico preciso das LER - Lesões Por Esforços Repetitivos

Entre os anos 2007 e 2016, segundo o Ministério da Saúde, houve um aumento de 184% de casos de LER/Dort no Brasil
| 03/05/2022
- 15:01
Fisioterapeuta Walkyria Fernandes alerta para diagnóstico preciso das LER - Lesões Por Esforços Repetitivos

Você sabe lidar com as Lesões por Esforços Repetitivos, ou seja, a chamada LER? A fisioterapeuta Walkyria Fernandes alerta que essa sigla não é propriamente uma doença. Segundo ela, a LER nada mais é que várias patologias que afetam músculos, nervos e tendões do corpo. E, assim sendo, aconselha profissionais a trabalharem com diagnósticos específicos, além da LER. “Prefiro avaliar o sistema musculoesquelético do paciente e dizer o que ele tem. Se é por exemplo uma tendinite, uma síndrome do túnel do carpo ou fibromialgia, cervicalgia, lombalgia, ou seja o que for”.

Estudo do por meio do Ministério da Saúde, publicado em 2018, alertou para o fato de os afastamentos por LER terem aumentado 184% no Brasil em 10 anos. As três maiores causas de afastamento do trabalho no Brasil são, na ordem: dor nas costas, doenças provenientes da LER e depressão.

Walkyria Fernandes explica que um paciente com LER pode ter muitos sintomas, pois pensa-se em todo um sistema musculoesquelético. “Ele pode ter dor, dormência, formigamento, sensação de ou agulhada, perder um pouco da força, sentir cansaço, então, por isso, é importante o diagnóstico da patologia e em que grau de comprometimento ela se encontra para o correto tratamento”, observa.

A profissional da saúde ressalta: “O grande segredo, hoje, é a prevenção e também melhorar as condições de saúde gerais: alimentação, sono, se exercitar, controlar o estresse, não ter ansiedade ou depressão, beber bastante água, enfim, estar bem de saúde”, conclui Walkyria Fernandes.

Dicas para evitar lesões:

1 - A cada 25 minutos de trabalho de digitação faça uma parada de 5 minutos;

2 - A cada uma hora de digitação, saia de sua cadeira e movimente-se;

3 - Beba água várias vezes durante o dia;

4 - Preste atenção na postura de trabalho: ombros relaxados, pulsos retos, costas apoiadas no encosto da cadeira;

5 – Cuidado para não usar cadeiras muito altas e que deixam os pés longe do chão;

6 - Sua cadeira deve ser do tipo ajustável para sua altura em relação à mesa de trabalho, e seu encosto deve prover suporte integral para suas costas; 7 - O monitor do computador deverá estar a uma distância mínima de 50 e máxima de 70 centímetros ou, de maneira prática, a uma distância equivalente ao comprimento de seu braço.

*Esta é uma página de autoria de VARIEDADES ASSESSORIA JC MKT e não faz parte do conteúdo jornalístico do MIDIAMAX

Veja também

O Mato Grosso do Sul e seu vizinhos na Região Centro-Oeste também estão cada vez...

Últimas notícias