Variedades

Fósseis mais antigos da América do Sul são descobertos na Argentina

Pequenas criaturas teriam entre 570 a 560 milhões de anos

Joaquim Padilha Publicado em 07/01/2017, às 14h51

None
fosseis.jpeg

Pequenas criaturas teriam entre 570 a 560 milhões de anos

Os fósseis mais antigos da América do Sul foram recentemente encontrados por pesquisadores argentinos e brasileiros. Com idade ente 570 milhões e 560 milhões de ano, pequenas estruturas em forma de disco foram encontradas na região de Olavarría, província de Buenos Aires, na Argentina.

Os pesquisadores não sabem dizer ao certo a ligação entre os fósseis e as atuais formas de vida. "Por enquanto não podemos dizer nada, estamos trabalhando disso. Podem ter afinidades tanto com animais quanto com vegetais", disse a pesquisadora María Julia Arrouy à Folha de S. Paulo.

Comumente, os fósseis encontrados com essa idade, próxima a era Cambriana (540 milhões de anos atrás), deixam os paleontólogos confusos. Eles são classificados na biota Ediacara: tem formas simples e enigmáticas, podendo lembrar discos, tubos, folhas e talos.

Fósseis como esses são muito encontrados no Mato Grosso do Sul, inclusive. Em terras tupiniquins, entretanto, fósseis do gênero tem um corpo calcário e relativamente duro, enquanto os novos achados argentinos possuem um corpo mais "mole".

O tamanho dos bichinhos – se é que são animais – varia. A maioria possui entre 1 cm e 2,5 cm, mas foram encontradas pequenas criaturas de poucos milímetros e outras de até 14 cm de diâmetro.

Para os pesquisadores, essa discrepância de tamanhos poderia indicar uma gradual evolução das antigas criaturas. Enquanto as menores possuem uma superfície lisa, as maiores têm uma estruturam mais complexa, com raios que saem do centro à borda e com uma marca característica no centro.

(sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax